Mãe de vítima de massacre em Blumenau que morreu de câncer aos 30 anos lutou até o fim: ‘ela vivia com dores’

Samira Barbosa tinha histórico de câncer e morreu após a doença se espalhar pelo corpo por meio de metástases.

PUBLICIDADE

Mãe de uma das crianças que foram assassinadas em um massacre a tiros registrado na cidade de Blumenau, município de Santa Catarina, em abril deste ano, Samira Barbosa morreu aos 30 anos após lutar contra um câncer agressivo. A mulher tinha histórico oncológico e tratou a enfermidade por vários anos, até que a doença alcançou um estágio de metástase.

PUBLICIDADE

Em entrevista concedida para a CNN Brasil, a esposa dela, Carina Marchesin, falou em “família destruída” diante das duas tragédias recentes. O garoto Enzo Marchesin Barbosa tinha quatro anos quando foi executado, e há dois havia chegado à residência do casal por meio de um processo de adoção.

Mãe de menino assassinado em massacre de Blumenau foi diagnosticada com metástase

De acordo com a viúva, Samira Barbosa tinha histórico de câncer. Poucos dias antes do atentado contra o seu filho, a companheira recebeu um diagnóstico médico de metástase, inicialmente apontada na região do peritônio. Posteriormente, a doença avançou ainda mais, alcançando os pulmões e sendo a causa do óbito prematuro.

Viúva enaltece força com a qual Samira Barbosa lutou contra o câncer

Carina Marchesin descreveu a sua esposa como uma mulher de muita garra, que lutou até o fim contra a doença. Mesmo com as dores decorrentes do câncer, jamais se deixou abater e tentou levar uma rotina independente e normal, apesar dos pesados tratamentos oncológicos.

“Ela vivia com dores, mas tentava ser independente. Eu pegava uma colher para alimentá-la, ela queria tomar a colher de mim para comer. Ela sempre foi guerreira, até o último minuto”, relembrou a viúva.

PUBLICIDADE