Homem finge ser gay para abusar de mulheres durante massagens

Falso massagista dava preferência por influenciadoras digitais e foi preso no Rio de Janeiro.

PUBLICIDADE

A polícia do Rio de Janeiro prendeu nesta última quinta-feira (23), um homem que dizia ser massagista e gay. O objetivo do suspeito seria atrair algumas clientes para que pudesse cometer os abusos.

PUBLICIDADE

De acordo com a polícia, o suspeito conseguiu tantas mulheres interessadas em seu trabalho que começou a escolher quais clientes atenderia. Geralmente, ele dava preferência para aquelas que se diziam influenciadoras digitais para, assim, prestar o serviço em troca da divulgação do seu trabalho nos perfis destas influenciadoras. E foi desta forma que ele começou a ficar cada vez mais conhecido.

Matheus foi preso no Rio de Janeiro

O suspeito, Matheus Calainho Cyranka, tem 28 anos. Quando as mulheres chegavam ao local da massagem, ele pedia para as clientes se deitarem apenas de biquíni.

Os abusos tinham início assim que ele começava a suposta massagem. Uma das vítimas prestou depoimento e contou à polícia que o homem chegou a tocar suas partes íntimas.

Influenciadora denunciou Matheus na web

Ele costumava marcar os horários com as mulheres interessadas pela internet. Carolina Medeiros, delegada responsável pelo caso, informou que pelo menos sete mulheres foram abusadas, mas este número poderá aumentar. Uma das influenciadoras digitais, vítimas do criminoso, é Bruna Wright, de 21 anos, que usou seu perfil no Instagram para denunciar o sujeito.

PUBLICIDADE

Matheus foi preso preventivamente e responderá pelo Artigo 215 do Código Penal, podendo pegar de dois a seis anos de prisão.