Médicos analisam parada cardíaca sofrida por mãe de 54 anos; ela havia dado à luz à gêmeas recentemente

A aposentada se submeteu ao procedimento de fertilização in vitro para engravidar das filhas.

PUBLICIDADE

Uma mãe morreu aos 54 anos, dias após ter dado à luz as filhas gêmeas. Rosemeire Aparecido Ribeiro tinha o grande sonho da maternidade. Conforme a informação do portal de notícias G1, que reuniu especialistas para analisar o caso, a aposentada faleceu após apresentar falta de ar no último final de semana. Ela chegou a procurar ajuda médica, mas apesar dos cuidados da equipe médica, a mulher não resistiu.

PUBLICIDADE

A aposentada sofreu uma parada cardíaca e acabou. A mulher era moradora de São Vicente, região litorânea do estado de São Paulo. As gêmeas Aylla e Antonella vieram ao mundo no último dia 12 de dezembro, no Hospital São Lucas, localizado em Santos.

A irmã da aposentada, Célia Regina, administradora de empresas, relatou que durante o período gestacional Rosemeire ficou bem inchada devido à retenção de líquido. No entanto, o parto das crianças transcorreu normalmente, porém ela continuou sofrendo com os mesmos problemas.

G1 reúne profissionais para analisar caso

Cardiologistas falaram sobre o caso e analisaram a possível relação dos procedimentos de fertilização e comentaram sobre a chamada gestação de risco. O termo pode ser classificado por vários fatores, sendo um deles a faixa etária da gestante.

A gestação é considerada de risco quanto ocorre abaixo dos 15 anos ou acima dos 35 anos. A aposentada deu entrada no hospital após apresentar dificuldade para respirar. A irmã frisou que a professora aposentada cumpriu todos os protocolos para garantir a segurança dela e dos bebês, antes de se submeter ao procedimento de fertilização.

PUBLICIDADE

Segundo o especialista Marcelo Pilnik, médico cardiologista, a parada cardíaca é uma consequência da arritmia cardíaca. O profissional explicou que o principal desencadeador é o infarto agudo do miocárdio. Além disso, ele frisou que em alguns casos, é possível que haja alguma patologia por trás da parada cardíaca.

Fertilização in vitro

O especialista disse que não existe uma ligação direta entre os procedimentos realizados para engravidar com a parada cardíaca. Contudo, é importante que tudo seja feito com cautela. Isso porque a dose hormonal usada de forma inadequada pode provocar fenômenos tromboembólicos, podendo desencadear outras condições graves.