Rio inicia campanha de vacinação antirrábica

“Raiva é uma doença que não tem cura”, diz especialista.

PUBLICIDADE

Há mais de 135 postos de vacinação no primeiro dia da campanha em bairros da zona sul, centro, zona norte e na Ilha do Governador. Outras regiões do Rio serão atendidas.

PUBLICIDADE

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS), por meio do Instituto Municipal de Vigilância Sanitária, Vigilância de Zoonoses e de Inspeção Agropecuária (Ivisa), iniciou hoje (27) a primeira etapa da campanha de vacinação antirrábica para cães e gatos.

São mais de 135 postos de vacinação neste primeiro dia da campanha em bairros da zona sul, centro, zona norte e na Ilha do Governador. Outras regiões do Rio serão atendidas nas etapas seguintes.

“Leve seu animal, filhote, a partir de três meses, e os [animais] adultos, se estiverem saudáveis. A raiva é uma doença que não tem cura. A vacinação é a prevenção”, disse a presidente do Ivisa, Aline Borges.

Causa e efeito

Causada por um vírus, a raiva é uma zoonose que pode acometer diversos mamíferos, mas as principais espécies envolvidas no ciclo da doença são cães, gatos, morcegos, raposa, cachorro-do-mato e saguis. Ela é transmitida ao homem por meio da saliva de animais infectados, principalmente por mordida, arranhão ou lambida. A doença é quase sempre fatal e se caracteriza por uma encefalite progressiva, levando à inflamação do cérebro.

PUBLICIDADE

No fim de julho, um adolescente do sexo masculino que havia contraído raiva no Distrito Federal não resistiu à doença e morreu.


Publicado em 27/08/2022 – 13:11 Por Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

Edição: Kleber Sampaio