in

Corpos de 22 jovens são encontrados dentro de boate e sem sinais de violência na África do Sul; polícia tem uma suspeita

Jovens de 13 a 17 anos foram encontrados sem vida dentro de uma boate e causa segue desconhecida.

Stringer/Reuters

Jovens de 13 a 17 anos foram encontrados sem vida dentro de uma boate popular na África do Sul. Autoridades estão apurando o que teria levado ao óbito 22 adolescentes, que não apresentam nenhum sinal de violência visível no corpo.

Publicidade

Autoridades da África do Sul estão investigando o motivo desse caso chocante, que aconteceu em um pub popular, localizado no município de East London, neste último domingo (26). Inicialmente acreditava-se que a idade das vítimas eram de 18 e 20 anos, mas o andamento das investigações revelou as idades verdadeiras.

Vítimas encontradas sem violência

De acordo com o Daily Dispatch, um jornal local, os corpos foram encontrados jogados em cima de cadeiras e de mesas, não apresentando nenhum sinal visível de violência. Até o momento, a polícia desconhece a causa do óbito. Suspeita-se de que os jovens foram envenenados.

Publicidade

Segundo informações repassadas pelo chefe de polícia local, Tembinkosi Kinana, as vítimas foram encontradas por moradores que residem próximas ao bar, localizando no bairro de Scenery Partk, distante cerca de 3 quilômetros do centro da cidade. O pub também é uma discoteca.

Publicidade

O porta-voz do departamento de saúde municipal, Siyanda Manana, os corpos serão levados para autópsia, com o intuito de revelar as causas do óbito. Imagens que circulam nas redes sociais, mostram que a boate e os arredores estavam cheios na noite do último sábado (25).

Publicidade

Hipóteses do óbito de jovens em boate

Até o momento, as hipóteses do óbito dos jovens é de que tenha ocorrido a ingestão de alguma substância mortal. Foi descartado que eles tenham perdido a vida por tumulto. “(A causa das mortes) é algo que eles ingeriram, o que apontaria para envenenamento, ou algo que inalaram”, falou o porta-voz do departamento de segurança, Unathi Pinqose, que está conduzindo as investigações.

Publicidade

Escrito por Nado C.

Sou formado em Sistemas de Informação com pós-graduação em Gerenciamento de Projetos em T.I. Além de atuar como programador há 10 anos, trabalho também como redator há cerca de 4 anos, o que fez despertar uma nova paixão e hoje também sou graduado em Letras - Português e Inglês. Escrevo sobre tudo o que envolve o mundo do entretenimento, além de falar sobre esportes e as principais notícias do dia a dia. Pode entrar em contato comigo através do e-mail nado_news@hotmail.com .