in

Caso Miguel – patroa é condenada 8 anos de prisão em regime fechado e mãe comemora: ‘vontade de gritar’

A genitora da vítima trabalhava para Sari Corte-Real quando a morte aconteceu.

G1

No dia 2 de junho de 2020, o menino Miguel Otávio de Santana, de cinco anos, perdeu a vida após cair do 9º andar de um prédio de luxo de Recife, no estado do Pernambuco. Na ocasião, a criança estava sendo cuidada pela patroa de sua mãe, Sari Corte-Real.

Publicidade

Nesta semana, a mulher, que é esposa do ex-prefeito de Tamandaré Sérgio Hacker, foi condenada pela Justiça a oito anos e meio de prisão em regime fechado por ter abandonado Miguel Otávio sozinho no elevador do prédio. 

De acordo com o juiz que decidiu a condenação, José Renato Bizerra, o titular da 1ª Vara dos Crimes contra a Criança e o Adolescente de Recife, a mulher terá a oportunidade de recorrer da decisão do regime fechado.

Publicidade

Mãe de Miguel relata contentamento com prisão de Sari

Mirtes Renata Santana de Souza se manifestou após saber da condenação da ex-patroa. A mulher, mãe da vítima, disse estar bastante contente com a decisão tomada pela justiça sobre o caso de seu filho.

Publicidade

Estou muito feliz. Ainda mais porque a morte do meu filho está prestes a completar dois anos. Queria que ela recorresse da sentença presa. Mas só de saber que ela foi condenada, é muita coisa. Dá um certo alívio. Minha vontade agora é de gritar“, desabafa Mirtes.

Publicidade

Na época do crime, a Justiça trabalhista ordenou que o marido de Sari Corte pagasse R$ 386.730,40 em indenização por danos morais coletivos a Mirtes e a sua mãe, Marta Santana. A genitora da mulher também já havia trabalhado para o casal.

Até o fechamento desta matéria, Sari ainda não havia se manifestado sobre a decisão judicial sobre sua condenação.

Publicidade

Escrito por Aurilane Alves

Escrevo sobre os assuntos mais bombados do momento, famosos, curiosidades, notícias em geral.