in

Suspeita de envenenar enteados com feijão ofereceu alimento à mãe das vítimas: ‘Fresquinho’

Fernanda, de 22 anos, veio a óbito após comer o feijão servido pela madrasta.

METRÓPOLES | REPRODUÇÃO

Cíntia Mariano Dias Cabral é investigada pelo suposto envenenamento dos enteados Fernanda, de 22 anos, e Bruno, de 16. No último dia 15 de maio, Fernanda se sentiu mal após almoçar na casa do pai e da madrasta. Após apresentar tontura, suores e desmaios, a jovem foi levada ao hospital, vindo à óbito em cerca de 10 dias após.

Publicidade

O que parecia ser uma morte natural, se tornou alvo de investigação após Bruno, irmão de Fernanda, apresentar os mesmos sintomas após ingerir feijão servido pela madrasta. O adolescente contou à mãe que notou que o gosto do alimento estava diferente, e que também notou pequenos grãos azuis.

O menino foi levado ao hospital e chegou a ser intubado. Exames detectaram uma grande presença de chumbo no sangue de Bruno. Jane Carvalho, mãe das vítimas, afirmou que a atual esposa do ex-marido também tentou oferecer o alimento a ela, que teria se recusado a almoçar.

Publicidade

Tem feijão fresquinho. Tem que comer, Jane“, teria dito a madrasta durante diálogo com Jane. As vítimas teriam sido envenenadas com “chumbinho“, conhecido veneno de ratos. Após a suspeita, Cíntia foi encaminhada para a penitenciária de Benfica, no Rio de Janeiro, onde segue cumprindo prisão temporária, enquanto a polícia investiga o caso.

Publicidade

Em conversa com o filho, a madrasta das vítimas teria assumido que os envenenou com chumbinho. De acordo com Cíntia, ela teria cometido o ato como “um gesto de amor” pelo marido. Segundo Jane, mãe das vítimas, Cíntia nutria um sentimento obsessivo pelo marido, a quem controlava a todo o tempo. 

Publicidade
Publicidade