in

Dólar sobe para R$ 4,69, mas fecha semana em baixa

Bolsa cai 0,51%, pressionada por mercado externo.

© Valter Campanato/Agência Brasil

Num dia de poucos negócios por causa do feriado de Semana Santa, o dólar fechou com leve alta, mas manteve-se abaixo de R$ 4,70 e encerrou a semana em queda. Após subir ontem (13), a bolsa de valores voltou a cair hoje e acumulou perda pela segunda semana seguida.

Publicidade

O dólar comercial fechou esta quinta-feira (14) vendido a R$ 4,696, com alta de apenas 0,16%. O mercado de câmbio iniciou o dia sob tensão, com a moeda chegando a subir para R$ 4,74 por volta as 11h. O movimento de alta, no entanto, desacelerou nas horas seguintes, e a cotação operou perto da estabilidade durante toda a tarde.

Com o desempenho de hoje, a moeda norte-americana fechou a semana com queda de 0,27%. A divisa acumula baixa de 1,36% em abril e de 15,78% em 2022. A perspectiva de que o Banco Central brasileiro promova uma alta adicional na taxa Selic em junho segurou a alta do dólar.

Publicidade

O mercado de ações teve um dia mais tenso. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 116.182 pontos, com queda de 0,51%. No pior momento do dia, por volta das 14h, o indicador chegou a cair 0,99%, mas recuperou-se um pouco perto do fim da sessão.

Publicidade

O Ibovespa fechou a semana com perda de 1,81%, com a segunda queda semanal consecutiva. Nesta semana, encurtada por causa do feriado, a bolsa de valores subiu apenas ontem. O mercado de ações foi afetado pela queda das ações nos Estados Unidos, à medida que o rendimento dos títulos do Tesouro norte-americano sobe, com a perspectiva de que o Federal Reserve (Banco Central dos Estados Unidos) aumente os juros além do previsto para segurar a inflação, que está no maior nível em 40 anos.

Publicidade

* Com informações da Reuters


Publicado em 14/04/2022 – 18:31 Por Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil* – Brasília


Edição: Valéria Aguiar

Publicidade

Escrito por Agência Brasil

Agência pública de notícias da EBC. Informações sobre política, economia, educação, direitos humanos e outros assuntos.