in

Vídeo mostra jovem sendo retirada à força de banheiro feminino após ser confundida com homem em SP

A jovem contou que se sentiu constrangida com a ação dos agentes seguranças.

REPRODUÇÃO/ TV GLOBO

Uma jovem de 21 anos, de cabelo curto, calça jeans e camisa polo registrou um boletim de ocorrência na noite desta segunda-feira (11), após ser confundida com um homem e ter sido retirada à força do banheiro feminino.

Publicidade

A jovem foi abordada por uma equipe de segurança do metrô de São Paulo, na estação de Sapopemba. Uma amiga da vítima, que gravou a ação, acabou levando um tapa no rosto.

O caso aconteceu na noite de domingo. A balconista Júlia Mendes voltava de um evento com amigos e estava no pátio da estação quando quis ir ao banheiro. Em entrevista ao UOL, Júlia contou que o amigo Renato também estava apertado. Ele entrou no banheiro masculino, e ela, no feminino.

Publicidade

Publicidade

Segundo o relato, assim que Júlia entrou no banheiro, as funcionárias responsáveis pela limpeza começaram a chamar sua atenção, dizendo que o banheiro era feminino. Ela conta que fez um sinal com a cabeça, para que notassem que não era um homem e achou que tivessem entendido.

Publicidade

Porém, as funcionárias não teriam entendido e alertaram os seguranças da estação de que ‘havia um homem’ utilizando o banheiro feminino. Na sequência, Júlia disse que estava sentada no sanitário quando dois seguranças começaram a dar socos na porta e gritar para que a jovem saísse de lá. Um deles reconheceu o engano e pediu desculpas, mas o outro teria se exaltado e continuou gritando, dizendo que estava cumprindo ordens.

Renato ouviu os gritos e tentou explicar aos seguranças, mas o mesmo segurança exaltado discutiu com o jovem desafiando-o para resolver numa briga de rua. Outros seguranças tentaram acalmar o funcionário.

Os amigos de Júlia foram avisados por Renato sobre o ocorrido e foram até à porta do banheiro. A amiga, Maria Luiza, começou a gravar a ação do segurança, mas foi agredida pelo homem com um tapa no rosto.

Em nota, o Metrô afirmou que não compactua com nenhuma ação discriminatória, informou que o segurança foi afastado e ainda apura o caso.

Publicidade