in

Caso Henry: Monique Medeiros deixa prisão e será rastreada por tornozeleira

Justiça determinou a soltura de Monique, suspeita de participar da morte do filho.

Divulgação / Veja

Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, deixou a penitenciaria no complexo de Gericinó, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ela deixou a prisão na noite da terça-feira (05), após a 2ª Vara Criminal do Rio de Janeiro expedir alvará de soltura.

Publicidade

Monique estava cumprindo prisão preventiva, pois é acusada de envolvimento na morte do filho, Henry Borel. O ex-namorado de Monique, Jairo Souza Santos Júnior, conhecido como Jairinho, também está sendo acusado pela morte do menino, portanto, Jairinho continua preso preventivamente.

A Justiça determinou a soltura de Monique, em razão da acusada sofrer grandes riscos dentro da cadeia. A Juíza de Direito Elizabeth Machado Louro, esclareceu que manter a suspeita detida não ajuda a manter a ordem pública e era de caso de preocupação para as autoridades, tendo em vista as diversas ameaças sofridas.

Publicidade

No entanto, a Justiça fixou algumas determinações a serem seguidas, quais sejam, não poderá retornar a antiga casa que residia com o filho e o ex-namorado quando ocorreu o crime, localizada na Barra da Tijuca. Está vedada qualquer comunicação com terceiros, principalmente testemunhas do processo, podendo manter contato apenas com familiares e advogados, ainda, está impedida de realizar qualquer tipo de publicação nas redes sociais.

Publicidade

Monique está sendo monitorada por tornozeleira eletrônica. Ela tinha o prazo de cinco dias para colocar o equipamento, no entanto, nesta manhã de quarta-feira (06) Monique compareceu na Coordenação de Monitoramento para cumprir a determinação judicial. Qualquer descumprimento das medidas impostas a acusada poderá ser restabelecida ao Sistema Prisional. 

Publicidade

Publicidade