in

Com medo de ataque nuclear da Rússia, Romênia irá distribuir remédios anti-radiação

O medicamento começará a ser distribuído já na próxima semana, como confirmado pelo ministro da Saúde romeno, Alexandru Rafila.

REPRODUÇÃO/ Hugo Barreto/ Metrópoles/ Montagem

O governo da Romênia, que faz fronteira com a Ucrânia, anunciou que irá distribuir comprimidos de iodeto de potássio à população – o país teme um ataque nuclear da Rússia. O medicamento é, geralmente, usado em radioterapia para proteger contra a radiação e deve ser usado em caso de emergência nuclear.

Publicidade

Na terça-feira (29), o ministro da Saúde da Romênia, Alexandru Rafila, confirmou que o medicamento será entregue a partir da próxima semana. O ministro ainda disse que um evento nuclear parece improvável, mas possível, e alertou a população a somente usar o medicamento se houver um acidente nuclear nas proximidades. Caso contrário, não devem ser retiradas da embalagem.

Antes do anúncio, o governo russo estava mais uma vez considerando usar armas nucleares no confronto contra a Ucrânia. Segundo o Kremlin, a medida seria de legítima defesa caso haja uma ameaça ao país russo. O porta-voz do governo da Rússia, Dmitry Peskov, reconheceu a possibilidade de usar armas nucleares em entrevista ao canal de televisão PBSO, mas garantiu que a Rússia não tem planos de tomar tal ação.

Publicidade

Segundo agências internacionais de notícias, os soldados russos estariam conduzindo veículos blindados em Chernobyl na área da Floresta Vermelha, o local é uma área de radiação extrema. O movimento dos veículos pode provocar uma nuvem de poeira radioativa e se espalhar por Chernobyl., que já foi o local da maior tragédia nuclear da história.

Publicidade

O contato com essa poeira radioativa seria um suicídio, disse dois funcionários. Eles afirmaram que a inalação dessas substâncias espalha a radiação por todo o corpo. Em 1986, pelo menos 31 pessoas morreram imediatamente após uma explosão no local.

Publicidade
Publicidade