in

Brasileiros terão que enfrentar a alta no preço dos medicamentos; reajustes já começam a ser feitos

Especialistas no mercado de medicamentos esperam que os preços subam em até 10%

Reprodução/Estadão/UOL

A partir do mês de abril, os brasileiros terão que enfrentar uma alta no preço dos remédios. Ainda nesta semana, a CMED (Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos) deve divulgar qual será o reajuste aplicado no preço dos medicamentos para o ano de 2022.

Publicidade

Alguns especialistas no mercado de medicamentos esperam que os preços subam até a casa dos 10%. O economista-chefe da Ativa investimentos, Étore Sanchez, explica que o maior impacto do aumento será sentido no mês de abril, porém, o reajuste também deverá refletir nos meses de maio e abril.

O advogado Matheus Falcão afirma que as pessoas idosas e aquelas que possuem doenças crônicas são as mais prejudicadas pelos constantes reajustes nos preços dos remédios. O advogado ainda explica que existe uma falha no sistema de reajuste. “O reajuste não é em cima do preço praticado nas farmácias, mas do valor máximo autorizado… esse preço máximo é muito alto, então a regulação do reajuste acaba não funcionando da forma como se propõe”, afirmou o advogado.

Publicidade

É importante ressaltar que medicamentos para tratar doenças como diabetes, hipertensão e asma podem ser adquiridos de maneira gratuita. Para ter acesso ao benefício basta a pessoa se dirigir a uma farmácia que possui o logo “Aqui tem farmácia popular” e apresentar a receita médica. 

Publicidade

Outra saída é a busca por programas de fidelidade de farmácias que oferecem descontos. Também é comum que alguns planos de saúde ofereçam descontos em medicamentos. A compra de medicamentos genéricos também é um excelente custo-benefício.

Publicidade
Publicidade