in

Morador de rua que foi espancado por personal recebe alta, mas se recusa a sair do hospital por medo

O homem, no momento, procura uma vaga em uma instituição de acolhimento a pessoas em situação de rua.

REPRODUÇÃO R7 E REDES SOCIAIS

O caso do morador de rua que foi espancado por um personal trainer na cidade de Planaltina, no Distrito Federal, se tornou o assunto mais comentado das redes sociais nesta semana. O personal Eduardo Alves, de 31 anos, flagrou o morador de rua tendo relações íntimas com a sua esposa no carro da família e, pensando que se tratava de um abuso sexual, arrancou o homem do veículo e o agrediu em vias públicas.

Publicidade

O homem foi internado em um hospital público do Distrito Federal e já recebeu alta. No entanto, assustado com a enorme repercussão do caso ele não deseja retornar para as ruas de Planaltina, temendo represálias.

No momento, o morador de rua gostaria de conseguir uma vaga em um abrigo para pessoas na mesma situação que a dele. Sem família e nem número de telefone de um conhecido, a sua solicitação já foi providenciada pelo Cras (Centros de Referência e Assistência Social), que está acompanhando a recuperação do homem.

Publicidade

O seu medo de voltar para as ruas surgiu nesta quinta-feira (17/03), quando foi informado por assistentes sociais da tamanha repercussão do caso. Até então, o morador de rua não estava sabendo que o episódio em que ele se envolveu tinha se tornado manchete em todo o país.

Publicidade

No hospital, o homem garantiu que não abusou de Sandra, nome da esposa do personal trainer. O morador de rua disse que partiu dela o convite para ter relação íntima dentro do carro.

Publicidade

Com toda a repercussão midiática, o rapaz se tornou uma celebridade dentro do hospital, até que a unidade de saúde divulgasse uma circular proibindo que funcionários fizessem imagens dele.

Publicidade

Escrito por Jean Marangoni

Influenciador digital responsável pelas páginas 'Mussum Sinceris' nas redes sociais, trabalho também com jornalismo online há 3 anos. Para sugestões entre em contato: jeanmarangoni@gmail.com