in

Importância da atividade física para combater o sedentarismo

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 47% dos brasileiros sofrem de sedentarismo.

Divulgação

O que é sedentarismo? O sedentarismo não surgiu na Idade Moderna, muito pelo contrário, ele acompanha o ser humano desde o período pré-histórico, conhecido também como Neolítico ou Período da Pedra Polida. O sedentarismo é caracterizado pela permanência em um único lugar. Por isso, o Período da Pedra Polida foi marcado pelo sedentarismo, já que antes o homem pré-histórico vivia como nômade, sempre se movimentando em busca de novos lugares que ofereçam moradia e principalmente alimento.

Publicidade

No entanto, com o descobrimento da agricultura, a necessidade de se locomover para um novo habitat em procura de alimento, não fazia mais parte da rotina dos seres viventes de muitas décadas atrás. Logo, a agricultura possibilitou a execução de técnicas que davam maior autonomia para que o ser humano produzisse o seu próprio alimento. Deixando de depender de fatores externos que fundamentam o estilo de vida nômade.

Além da agricultura, outros fatores também transformaram o ser humano em um indivíduo sedentário. Como a domesticação dos animais, que assim como a agricultura, possibilitou que os alimentos pudessem ser armazenados, diminuindo a necessidade de caçar, por exemplo, que era um momento no qual os seres viventes daquela época praticavam atividades físicas.

Publicidade

Desde o período histórico da Idade Moderna, muito pouco mudou em relação ao sedentarismo. O estilo de vida ainda é um dos maiores fatores que explica o sedentarismo. Visto que o surgimento da tecnologia trouxe facilidades para o dia a dia, que além de serem benéficas, também possuem pontos negativos, principalmente para as crianças, assim como jovens e adultos que não jogam bola no campo de futebol físico e real, se divertem pela tela da televisão, computador, celular ou tablet, movimentando apenas a mão. De acordo com um estudo, oito em cada dez adolescentes e crianças com idade entre 11 a 17 anos, não praticam atividades físicas o suficiente para não viver no sedentarismo.

Publicidade

Quais são as consequências do sedentarismo?

Segundo o Ministério da Saúde, cerca de 47% dos brasileiros adultos não praticam ao menos 150 minutos de atividade física moderada ou 75 minutos de atividade física intensa. Logo, as consequências na vida desses indivíduos, seja fisicamente ou até mesmo emocionalmente, começam a surgir.

Publicidade

Dentre as consequências do sedentarismo, seguem as mais notórias:

Cansaço Excessivo – A prática de atividades físicas fortalece os músculos, garantindo melhor condicionamento físico para ajudar o corpo a suportar um dia mais cansativo sem um quadro cansaço excessivo, por exemplo. Logo, a necessidade de movimentar o corpo com alguma atividade, mesmo que seja uma caminhada de alguns minutos;

Falta de força muscular – Outra consequência do sedentarismo que afeta o sistema musculoesquelético é a falta de força muscular. Isso acontece pelo mesmo motivo do cansaço excessivo: a falta de fortalecimento dos músculos. Por outro lado, a prática excessiva de atividades físicas também pode causar a falta de força muscular. Por isso a importância de procurar um médico especialista;

Obesidade ou aumento de peso – Uma das principais características do sedentarismo é o baixo gasto de caloria, comparado com o alto consumo de calorias sem praticar atividades físicas para gastá-las. Toda a energia gerada pelo consumo de calorias precisa ser gasta por meio de atividades físicas. Se isso não acontece, essa energia é transformada em gordura. Por consequência, acumulando no corpo e aumento o peso;

Saúde do cérebro – A saúde cerebral também é uma das grandes prejudicadas pelo sedentarismo. A prática de atividades físicas além de melhorar o sistema musculoesquelético e cardiorrespiratório, também oferece benefícios ao sistema nervoso central. Dentre os vários benefícios, fazer uma caminhada por exemplo, melhora o humor, facilita o aprendizado e ajuda até mesmo na prevenção do Alzheimer.

Dentre as consequências listadas existem inúmeras outras que podem causar sérios danos à saúde. Como dor nas articulações, acúmulo de gordura nas artérias, diabete, problemas cardíacos, dentre outros.

Sedentarismo Infantil

Uma criança com faixa etária entre seis e dezessete anos de idade é caracterizada sedentária ao praticar menos de 300 minutos de atividade física. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) 84% dos adolescentes brasileiros, assim como 78% das crianças não fazem o quantitativo mínimo de atividade física recomendado por dia. 

Outro dado alarmante é a quantidade de crianças que sofrem de obesidade no Brasil, tendo como uma das principais causas o sedentarismo. Das crianças entre 5 e 9 anos acompanhadas pelo SUS (Sistema Único de Saúde), 13,2% são afetadas pela obesidade. 

Logo, fica evidente a necessidade de mandar bons hábitos desde criança, para combater o sedentarismo dentre inúmeras outras doenças. Principalmente durante a pandemia, quando o distanciamento social foi necessário, muitas crianças pararam de praticar atividades físicas, as que praticavam. 

Portanto, os jogos de futebol na rua, deram lugar aos jogos virtuais, a ida ao parquinho deu lugar a televisão, dentre outras atividades que foram substituídas por mais tempo dentro de casa sem praticar qualquer movimento, ou menos da quantidade mínima indicada. Além do fato das crianças e adultos consumiram mais calorias e gastá-las menos, resultando em mais gordura corporal acumulada.

O que fazer para combater o sedentarismo? 

Dentre as principais discussões deste século, como combater o sedentarismo é uma das grandes questões. Afinal, o sedentarismo é considerado por muitos especialistas como a doença do século XXI, consequência dos avanços tecnológicos e comodidades que temos nos dias atuais. 

Para combater o sedentarismo algumas práticas e hábitos são indicados:

Praticar exercícios físicos;

Escolha roupas fitness confortáveis e com proteção UV;

Boa alimentação;

Procurar um médico especialista para auxiliar tanto na alimentação, quanto na implementação de exercícios físicos;

Entenda o seu corpo para saber o melhor horário para praticar exercícios físicos;

Hábitos saudáveis;

Comece aos poucos, para ensinar o corpo a necessidade de movimentá-lo;

Convide uma companhia prazerosa para ingressar com você no combate ao sedentarismo;

Compartilhe sua evolução com amigos.

Publicidade