in

Putin ordena que forças nucleares da Rússia fiquem em alerta; ameaça preocupa o mundo inteiro

O presidente chamou de ilegítimas as sanções econômicas impostas pelo Ocidente para justificar a decisão.

Alexey Nikolsky/Kremlin/Sputnik via Reuters | Brasil Escola/Divulgação

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, participou de um encontro neste domingo (27) com o ministro da Defesa do país, Serguei Choigu, e do Estado-Maior, Dmitry Yuryevich Grigorenko. Na ocasião, o Chefe do Poder Executivo russo determino que as forças nucleares sejam colocadas em “regime especial de alerta”.

Publicidade

Putin aciona força nuclear em meio à guerra entre Rússia e Ucrânia

O presidente russo avalia que as sanções econômicas impostas pelos países do Ocidente são “ilegítimas”, razão pela qual recorreu ao armamento nuclear como forma de pressão. Na última semana, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, decretou um dos maiores pacotes de sanções econômicas da história em face da Rússia. As informações relativas ao encontro entre Putin e seus auxiliares de Defesa são da agência de notícias Tass.

“Os países ocidentais não estão apenas aplicando sanções econômicas nada amigáveis. Seus líderes de Estado têm feito pronunciamentos agressivos sobre nosso país. Por isso, ordenei que coloquem as forças de dissuasão da Rússia em regime especial de alerta”, foram as palavras do presidente para determinar o acionamento do arsenal nuclear.

Publicidade

Desde o início da invasão russa em território da Ucrânia, as grandes potenciais do Ocidente, sobretudo da porção Oeste da Europa e os Estados Unidos, têm aplicado duras sanções econômicas em face do país, de Vladimir Putin e de grandes oligarcas russos com investimentos internacionais. O objetivo é pressionar o país a desistir das investidas, posto que um embate militar direto, neste instante, ainda não aconteceu – apesar do envio de armamento para a Ucrânia e de tropas para pontos específicos da Europa.

Publicidade

A ameaça de apelar para as armas nucleares coloca todo o planeta em atenção. Sabe-se, desde a Segunda Guerra Mundial, do potencial catastrófico de destruição em virtude deste tipo de armamento, sendo a Rússia, herdeira da extinta União Soviética, a maior força global neste quesito.

Publicidade

Durante a madrugada deste domingo (27), novas ações do exército russo foram deflagradas em território ucraniano. Kharviv, a segunda maior cidade do país, foi invadida pelos militares. Além disso, mísseis balísticos estão destruindo refinarias e gasodutos no território do país vizinho.

Publicidade

Escrito por Henrique Furtado

Henrique Furtado é um redator com vasta experiência no jornalismo online. Solidificou sua carreira com coberturas marcantes sobre os principais acontecimentos no Brasil e no mundo ao longo da última década. Suas especialidades englobam desde os bastidores da política, versando por esportes, atualidades e, claro, tudo o que acontece no mundo dos famosos. Está sempre ligado para entregar, em primeira mão, as últimas novidades para os seus leitores, 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano.

Contato: henriquefurtado.jornalista@gmail.com