in

‘O povo vai resistir’, diz professora que viu o pai, de 70 anos, se alistar no exército da Ucrânia

O país sofre com ataques de tropas russas desde quinta-feira, 24. Segundo Olga, o povo vai resistir mesmo se o presidente do país for abatido.

Emilio Morenatti/AP

Em conversa com a GloboNews, a ucraniana Olga Tarnovska afirmou que a situação da capital da Ucrânia, Kiev, é “muito tensa”.

Publicidade

De acordo com informações do secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, os soldados russos estariam a cerca de 30 quilômetros do local.

Olga, que é professora e consultora de Meios de Comunicação, diz que, mesmo se o presidente do país acabar sendo abatido, o povo não vai desistir. “O povo vai resistir”, afirmou ela, destacando que essa é a mensagem deles para o mundo.

Publicidade

A professora diz ser uma situação muito tensa, já que há muitas forças armadas em uma área. Ela afirma que as tropas da Rússia estão pretendendo entrar na cidade, “mas eles não vão passar”. Olga diz que eles estão “totalmente seguros” com o exército e o povo do país. Ela conta que todos estão resistindo e, inclusive, que muitas pessoas estão se alistando no exército do município. A professora contou que até o seu pai, de 70 anos, se alistou para o exército no intuito de ajudar.

Publicidade

A guerra teve início na quinta-feira, 24, e já se tornou o maior ataque entre países europeus desde a 2ª Guerra Mundial. Vladimir Putin, presidente da Rússia, afirmou que a invasão é uma medida tomada no intuito de proteger os separatistas no leste.

Publicidade

De acordo com informações passadas por Oleh Lyashko, ministro da Saúde da Ucrânia, ao menos 137 pessoas morreram e outras 316 acabaram feridas após os ataques das tropas russas.

No início da manhã desta sexta-feira, 25, no horário local, novos ataques tomaram conta da capital da Ucrânia. De acordo com informações, ao menos um avião russo foi abatido pelo sistema de defesa antiaérea. Não há informação se a aeronave era, ou não, tripulada.

Publicidade