in

Após ataque à Ucrânia, Putin ameaça quem tentar intervir: ‘Consequências como nunca antes experimentado’

O presidente russo autorizou os primeiros ataques à Ucrânia na noite desta quarta-feira (23), horário de Brasília.

La Presse/Prop Mark

No decorrer da noite desta quarta-feira (23), horário de Brasília, durante o anúncio da realização de uma operação no leste da Ucrânia Vladimir Putin, presidente da Rússia, mandou um recado para os cidadãos do país que governa.

Publicidade

De acordo com Putin, todas as decisões necessárias para tal situação já foram tomadas. Além disso, o presidente afirmou que os russos precisarão se preparar para as mudanças que ocorrerão nos próximos dias, tendo em vista as sansões que serão impostas pelos EUA e seus aliados.

Mas o recado do mandatário russo não se limitou a seus conterrâneos. Se dirigindo aos países que possam vir a tentar contrariar sua decisão de alguma forma, como EUA e outras nações europeias, que haviam anunciado sansões contra os russos em caso de invasão, Putin afirmou que poderá tomar providências como resposta.

Publicidade

“Quem tentar interferir, ou ainda mais, criar ameaças para o nosso país e nosso povo, deve saber que a resposta da Rússia será imediata e levará a consequências como nunca antes experimentado na história”, afirmou.

Publicidade

Além disso, durante o pronunciamento, Putin culpou a Ucrânia pelo início do conflito e suas consequências.

Publicidade

Não muito tempo depois da divulgação das primeiras informações acerca da ação militar russa em solo ucraniano, Volodymyr Zenlensky, presidente da Ucrânia, divulgou uma mensagem direcionada a seu povo.

Em seu texto, Zenlensky afirmou que Putin autorizou uma operação em Donbas, no sudeste da Ucrânia, contra a infraestrutura militar ucraniana e seus guardas de fronteira. O presidente disse ainda que foi possível ouvir explosões em diversas cidades e pediu que o povo mantenha a calma.

“Estamos introduzindo a lei marcial em todo o território do nosso país. Hoje cada um de vocês deve manter a calma. Fique em casa se puder. Nós estamos trabalhando”, afirmou Volodymyr.

Publicidade

Escrito por Higor Mendes

Redator com três anos de experiência, apaixonado por história da Segunda Guerra Mundial, política, futebol e curiosidades em geral.