in

Professor perde filhos, esposa e sogros durante tragédia em Petrópolis: ‘A dor é enorme’

Alessandro viu a casa que ele morava com a família ser invadida pela enxurrada de lama.

Reprodução / Alessandro Garcia

O professor Alessandro Garcia, de 38 anos, estava vivendo uma fase especial na sua vida pessoal. Pela primeira vez, ele pôde escutar o filho Bento, de 5 anos, o chamando de papai. O pequeno que era autista, havia tido seu primeiro dia na escola, com a irmã Sophia de quase dois anos, no dia 15 de fevereiro.

Publicidade

Porém, a felicidade logo deu lugar à tragédia. Em poucos segundos, a lama e os destroços invadiram a casa onde ele residia com sua família, um dos locais mais atingidos pelo temporal que destruiu a cidade. O profissional da educação perdeu a esposa, dois filhos, e os sogros, além da casa que morava.

A partir do ocorrido, alguns amigos decidiram organizar uma campanha de financiamento virtual para que o ajude a recomeçar a sua vida. A atitude acabou ganhando força na internet nos últimos dias.

Publicidade

Ontem(22), o professor agradeceu por todo carinho que tem recebido das pessoas. Alessandro disse que ainda não tem condições de falar muito sobre o assunto, mas o acolhimento que ele tem recebido não tem preço, e não sabe o que seria dele caso estivesse sozinho em um momento tão difícil.

Publicidade

Alessandro ficou tão impactado quando a tragédia aconteceu que ele saiu de casa andando depois que o local foi inundado e disse que estava com o filho no colo, mesmo após a criança ter ficado sob a lama. Assim que conseguiu chegar na casa de um parente, ele foi dormir, ainda em estado de choque com a situação. Alguns parentes relataram que somente no dia seguinte, ele se deu conta que havia quebrado as duas pernas. Por causa da adrenalina, ele não estava sentindo dor.

Publicidade

O professor fez um desabafo na sua rede social após a esposa e a filha Sophia serem enterradas no último dia 19, quando estava na cerimônia ele recebeu a notícia que o corpo do filho Bento havia sido encontrado. “Acabei de chegar do enterro da Carol e da Sophia. Dois terços do meu coração ficaram lá… a última parte foi encontrada faz pouco, a dor é enorme”, escreveu ele depois do enterro.

Publicidade