in

Brasileira é presa com drogas na Tailândia e família teme por sua vida: ‘Não merece perder a vida assim’

Mary foi presa com mais de 15 quilos de cocaína enquanto desembarcava no aeroporto Bangkok; punição máxima para o tráfico no país é a pena de morte.

Divulgação/Redes Sociais

Aos 22 anos, a mineira Mary Hellen Coelho Silva, está detida na Tailândia suspeita de tráfico internacional de drogas. A jovem foi presa logo após ter desembarcado no aeroporto de Bangkok, na segunda-feira, 14. Ela deixou o Brasil pelo aeroporto de Curitiba, no Paraná, e no momento da prisão estava acompanhada por dois homens brasileiros. Mary foi presa transportando mais de 15 quilos de cocaína dentro de algumas malas. Estima-se que ela estava com ao menos R$7 milhões em drogas.

Publicidade

Agora, familiares da jovem temem pela vida dela, já que no país em que ela está presa o crime de tráfico de drogas pode ser punido com a pena de morte. A irmã de Mary, Mariana Coelho, de 27 anos, conta que a jovem tinha planos e sonhos. “Não merece perder a vida assim”, completou. Ela ainda diz que tudo precisa ser investigado, já que sua irmã nunca havia saído do Brasil. As duas são moradoras de Pouso Alegre, localizado no Sul de Minas.

Mariana conversou com o portal UOL e afirmou que sua família está com medo de que Mary acabe sendo condenada à pena máxima da Tailândia. Vale destacar que a punição da jovem dependerá das circunstâncias do crime e ainda da quantidade de drogas apreendida.

Publicidade

Mariana diz que não sabia que Mary estava fora do país, na verdade, ela achava que a irmã havia saído para se encontrar com um rapaz que conheceu por meio da internet. No entanto, ela diz ter recebido um áudio da irmã desesperada dizendo que estava temendo por sua vida. Mariana não soube dizer nada sobre os homens que estavam com Mary no momento em que ela foi presa. “Não conhecemos”, destacou.

Publicidade

O último contato de Mary que a família teve foi por meio de um advogado, a quem Mary Hellen enviou um vídeo pedindo para que seus familiares não fiquem preocupados. “Me ajudem”, pediu a jovem.

Publicidade
Publicidade