in

Em meio à tragédia de Petrópolis, jovem dá à luz em alojamento e traz esperança para a população

Uma mulher que estava grávida deu à luz no abrigo que sua mãe estava alojada.

Divulgação/ UOL | Divulgação/ Revista Forum

 A manhã desse domingo (20/02), começou trazendo um pouco de felicidade e esperança para a população de Petrópolis que tem enfrentado momentos difíceis devido às fortes chuvas na região. O munícipio está passando por uma das maiores crises da história da cidade e, infelizmente, muito moradores perderam a vida na tragédia.

Publicidade

Em um abrigo montado pela Prefeitura de Petrópolis para abrigar as vítimas que perderam suas casas na tragédia acabou acontecendo um verdadeiro milagre em meio ao caos. Uma mulher que estava grávida deu à luz no abrigo que sua mãe estava alojada. A pequena Alice veio ao mundo pela manhã, na escola Paroquial Bom Jesus, no bairro Doutor Thouzet.

Giovana Cerqueira, de 19 anos, chegou ao alojamento por volta das 7h30 para avisar a mãe que estava sentindo fortes contrações e que achava que estava em trabalho de parto. Imediatamente a vó da bebê avisou a equipe médica que está no local para amparar as vítimas da tragédia que sua filha iria dar à luz.

Publicidade

A diretora do colégio, Renata Zacharsk, disse que Giovana estava sentindo muita dor e estava com contações fortes. Renata disse que chamou a Defesa Civil e que rapidamente chamaram uma ambulância para levá-la até o hospital. No entanto, devido as péssimas condições da cidade, a ambulância demorou muito e a jovem acabou dando à luz a sua segunda filha no ponto de abrigo. “A bebê nasceu aqui mesmo. Foi a coisa mais emocionante que vi na vida”, disse a diretora muito emocionada por ter presenciado o parto de Giovana.

Publicidade

De acordo com Renata, a jovem não estava abrigada na escola, mas foi à procura da mãe para lhe ajudar nesse momento tão especial.

Publicidade

A  enfermeira Tatiana Jardim Costa revelou que o espaço foi totalmente improvisado e que Giovana teve que deitar no chão, pois no colégio não havia uma maca.  “Eu e a mãe dela a colocamos no chão, e eu falei: ‘Faça força’. Logo já vi a cabeça da bebê, e ela nasceu. Foi lindo”, disse a profissional emocionada.

Logo depois, a ambulância chegou ao local e levou a mãe e a filha para o hospital para fazer uma série de exames e verificar se as duas estavam bem após a realização do parto improvisado.

Publicidade