in

Mãe sofre dor dilacerante nas costas, desmaia e acorda sem os dedos da mão

A mulher de 34 anos de idade precisou ser levada ao hospital após sentir dores fortes.

Reprodução Metrópoles

Uma mulher passou por uma situação difícil e precisou ser submetida a amputação de alguns dedos após ser acometida por uma doença grave. Sadie Kemp, de 34 anos de idade, estava construindo uma cozinha de brinquedo com o filho de dois anos. O fato aconteceu no Natal do último ano, quando repentinamente sentiu uma forte dor nas costas que se expandiu para a região abdominal.

Publicidade

A britânica chegou a pensar que poderia se tratar de um mau jeito na coluna, pois havia se abaixado diversas vezes para poder colocar os parafusos na peça do brinquedo. No entanto, após meia hora, a mulher precisou ser levada ao hospital por parentes. Mãe de duas crianças, ela foi encaminhada ao hospital do município de Peterborough, que fica localizado no Leste da Inglaterra.

Sadie Kemp estava desesperada de tanta dor. Na ocasião, os médicos que prestaram atendimento a britânica administraram analgésicos e mandaram de volta para casa. A orientação recebida por ela era que retornasse a unidade caso apresentasse piora. Foi assim que acabou acontecendo, a mulher precisou voltar ao hospital e acabou desmaiando na frente dos profissionais.

Publicidade

Sadie ficou em coma induzido por duas semanas. “Eu estava celebrando o Natal às 14h30 com minha família e rindo. Às 17h, eu estava lutando pela minha vida”, desabafou durante uma entrevista ao portal de notícias Mirror. Após uma avaliação dos médicos ficou constatado que as dores eram devido a pedra nos rins.

Publicidade

Publicidade

O problema levou a um quadro de infecção que acabou desencadeando uma sepse, que é uma complicação grave com potencial para se tornar uma infecção fatal. Coágulos de sangue acabaram cortando o fornecimento sanguíneo aos membros da paciente que precisou ter os dedos da mão esquerda amputados.

Ainda conforme a equipe médica, a mulher deve perder os dedos da mão direita após cicatrização das feridas. Os profissionais vão avaliar se haverá necessidade de amputação dos pés e pernas.

Publicidade