Jovem manda áudio para tia minutos antes de ser soterrada com filha de 6 anos; mulher contou o que ela disse

A cidade foi atingida por chuvas intensas que destruíram grande parte dela.

PUBLICIDADE

As chuvas em Petrópolis deixam um rastro de destruição. Cenas de carros levados pela água e uma imensa quantidade de lama cobrindo os corpos das vítimas estão em todas as redes sociais e o luto assola centenas de famílias em toda a cidade.

PUBLICIDADE

Entre as vítimas fatais da tragédia está a jovem Michele Azevedo, que foi a óbito com sua filhinha, de apenas seis anos. A duas estavam em casa quando o volume de água e lama atingiu a residência, não dando outra opção senão as levar embora direto para a morte.

Terezinha Rodrigues de Souza Azevedo, tia de Michele, conta que teve contato com a sobrinha pouco antes de a jovem perder a vida na tragédia, que já causou a morte de mais de 100 pessoas, de acordo com informações da Defesa Civil.

Preocupada com o que estava acontecendo em Petrópolis, dona Terezinha, que comprou uma casa e foi morar em Juiz de Fora, no estado de Minas Gerais, entrou em contato com Michele para saber como ela estava.

A vítima chegou a narrar os deslizamentos para a tia e mandou um áudio dizendo “eu te amo, tia“. A idosa chegou a se prontificar para ir até Petrópolis buscá-la, mas já não dava mais tempo. Michele foi soterrada com a pequena Larissa, sua filha. 

PUBLICIDADE

Terezinha entrou em desespero por não conseguir ter mais contato com a sobrinha, a quem tinha criado como filha. “Ela me mandou um áudio dizendo o que estava acontecendo e liguei em seguida. Ela disse para eu não vir e disse que me amava e eu também. Depois disso não consegui mais falar, só ficou silêncio“, conta a mulher, que ficou em choque diante no triste cenário que encontrou ao chegar em Petrópolis.