in

Morador de Petrópolis conta o que viu após tragédia causada pela chuva: ‘corpo para tudo quanto é lado’

Número de mortos se aproximava de 40 na manhã desta quarta-feira (16).

Reprodução Globo

A cidade de Petrópolis está passando por situação difícil devido às fortes chuvas na região nas últimas horas. A prefeitura e o Corpo de Bombeiros confirmaram ao menos 38 mortes até a manhã desta quarta-feira (16). Este número pode aumentar durante o dia.

Publicidade

Devido às chuvas ontem, muitas pessoas só conseguiram retornar para casa depois do trabalho na manhã de hoje. Foi o caso do vendedor Breno Passeri, que deu entrevista ao Bom Dia Rio, da TV Globo. O depoimento de Breno mostra a situação difícil vivida pelos moradores de Petrópolis.

“Tive que dormir no trabalho. Tentei ir embora, mas não consegui. Não estava passando ônibus. Tinha corpo para tudo quanto é lado”, disse o rapaz, citando algumas ruas onde havia corpos espalhados pelo chão. Em seis horas, choveu o equivalente ao mês inteiro em Petrópolis, de acordo com a Defesa Civil.

Publicidade

Moradores de Petrópolis sofrem com as chuvas na cidade

A cidade de Petrópolis está sofrendo desde ontem com as fortes chuvas. Na manhã desta quarta-feira, a prefeitura confirmou 38 óbitos. Durante a noite não dava para visualizar o estrago causado pela chuva. Na manhã de hoje, com o dia claro, foi possível ver que a lama tomou conta de áreas da cidade.

Publicidade

Morros deslizaram, correnteza arrastou veículos, pessoas ficaram presas no trabalho, sem conseguir sair. O Alto da Serra foi uma das regiões da cidade mais afetadas pela chuva. No Morro da Oficina, 80 casas foram atingidas por uma barreira. A prefeitura decretou estado de calamidade pública. Da Rússia, o presidente Jair Bolsonaro lamentou a tragédia.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!