in

Catástrofe da chuva: nova tragédia atinge Petrópolis, após acharem quase mil corpos em 2011

Petrópolis, no Rio de Janeiro, passa por dificuldades em meio às chuvas que afetam a Região Serrana.

G1 / Reprodução

Uma tragédia chegou à público na noite desta terça-feira (15/02), quase 11 anos após as fortes chuvas e deslizamentos que atingiram a Região Serrana do Rio de Janeiro. Petrópolis é a cidade que sofre com as chuvas dessa vez e foram registrados vídeos no local que mostram o tamanho do feito das chuvas nas últimas horas.

Publicidade

A catástrofe impressiona e a força da correnteza assusta os moradores. Segundo relatos ao site G1, carros foram arrastastados e pedestres e comerciantes entraram em desespero ao ver a situação que tomou conta da cidade. Houve queda de barreiras e a Defesa Civil foi acionada para atender às diversas ocorrências pela cidade.

O Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros, o coronel Leandro Monteiro, concedeu uma entrevista para a TV Globo, na edição do RJ 2, telejornal da noite. Ele confirmou que foi encontrado um corpo e três pessoas foram soterradas pelo deslizamento do Morro da Oficina.

Publicidade

Tragédia em Petrópolis preocupa autoridades e moradores; chuvas causaram deslizamentos

Até o momento, foram registradas 49 ocorrências de deslizamentos pela Defesa Civil. Diversos bairros foram afetados desde que começaram as chuvas em Petrópolis. De acordo com as autoridades, em seis horas de chuva, foram 259 milímetros de índice pluviométrico. O quantitativo preocupa, pois é o esperado para todo o mês de fevereiro. Veja abaixo um vídeo que mostra a força da água.

Publicidade

O governador do estado do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, destacou que a situação na cidade é preocupante. Ele já conversou com o prefeito Rubens Bomtempo e pediu que as autoridades orientem os moradores o quanto antes. Devido à tragédia, as aulas no município foram suspensas.

Publicidade

Há 11 anos, a Região Serrana do Rio vivia uma tragédia sem precedentes. Uma série de enchentes e deslizamentos causaram grande destruição, com 916 mortos e 345 desaparecidos. Cidades como Nova Friburgo, Petrópolis, Sumidouro e São José do Rio Preto foram afetadas pelas chuvas, que são sempre uma preocupação para os moradores. A tragédia é considerada até hoje como um dos maiores desastres climáticos do Brasil.

Publicidade

Escrito por Tadeu Goulart

Assuntos chocantes, novidades da televisão, famosos e política: tudo você encontra aqui.