in

Caso Evandro: governo publica pedido de perdão a Beatriz Abagge, condenada injustamente

Governo do Paraná pública carta oficial com pedido de desculpas pela morte do menino.

Reprodução

O que motivou o governo do Paraná a publicar uma carta com pedido de desculpas a Beatriz Abagge após 30 anos da morte de Evandro Ramos Caetano, aos 6 anos, no litoral do Paraná, foi repudiar enfaticamente o uso da máquina estatal contra um ser humano, como forma de obter confissões mediante violência e coação física. Portanto, Leprovost em nome do Estado pediu perdão pelas sevícias injustificáveis feitas no passado contra a Abagge.

Publicidade

Na declaração de pedido de perdão, Leprovost comunica que também enviará pedido intenso de perdão a todos os pais das crianças que desapareceram no início da década de 1990 e que não pode inocentar ou anular o julgamento, porém, enviará uma cópia da carta e do relatório final do grupo de estudos para Poder Judiciário.

Quando ocorreu o crime, sete pessoas foram condenadas a prisão e apelidadas de as “bruxas de Guaratuba”. Na época, foi revelado que a motivação para a morte de Evandro ocorreu com uma prática de sacrifício e ritual de magia para impulsionar a carreira política de Aldo Abagge, que era na época prefeito da cidade e esposo de Beatriz. 

Publicidade

Publicidade

Em 2011, Beatriz Abagge foi condenada à prisão por 21 anos e quatro meses pelo Segundo Tribunal do Júri de Curitiba, pela morte do garoto, que ocorreu em abril de 1992. No ano de 2016, passados cinco anos, o Tribunal de Justiça do Paraná cedeu perdão a pena de Beatriz.

Publicidade

Todos as sete pessoas acusadas de cometerem o crime confessaram e foram condenadas. Porém,  explicaram que as declarações foram obtidas através de tortura e confirmadas em fitas no ano de 2020, pelo jornalista Ivan Mizanzuk.

Publicidade