in

Caso Beatriz: menina levou 42 golpes e faleceu porque se assustou ao ver morador de rua com faca

Família da vítima está revoltada por não ter tido acesso primeiro às informações antecipandamente.

Metro1

Nesta semana, o caso da menina Beatriz Angélica Mota, que faleceu em 2015 após ser assassinada, finalmente foi concluído. No dia da morte, a faca utilizada no crime foi deixada perto do corpo e, depois de uma perícia, o culpado foi identificado.

Publicidade

Um exame de DNA realizada na arma do crime confirmou que Marcelo da Silva foi o responsável por desferir mais de 40 facadas na vítima. No dia em questão, a menina estava com os pais na escola Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, em Petrolina, comemorando a formatura da irmã.

Beatriz havia dito que iria tomar água, mas depois disso não foi vista com vida novamente. O secretário de Defesa Social, Humberto Freire falou sobre o trágico episódio e disse qual teria sido a motivação para o assassinato.

Publicidade

Humberto diz que Beatriz teria se assustado ao ver o suspeito com a faca e, para silenciá-la, o homem a atacou, assassinando-a em seguida com 42 golpes. Foram necessários no inquérito 24 volumes, 442 depoimentos e 900 horas de imagens até finalizar o processo investigativo.

Publicidade

Temos a motivação alegada se coadunando [coincidindo] com a dinâmica dos fatos que, ao haver contato do assassino com a vítima, ela teria se desesperado e por isso foi silenciada a golpes de faca“, disse Humberto, após apontar demora na elucidação do caso.

Publicidade

A família de Beatriz, que desde o dia do crime pedia justiça, ficou indignada ao saber sobre o desfecho do caso através da imprensa. A mãe afirma que a polícia deveria ter entrado em contato com os parentes antes de divulgar as informações.

Publicidade

Escrito por Aurilane Alves

Escrevo sobre os assuntos mais bombados do momento, famosos, curiosidades, notícias em geral.