in

Polícia localiza suspeito de tirar a vida da menina Beatriz com 42 facadas; motivação do crime é divulgada

A menina de 7 anos se afastou da mãe no dia do crime para tomar água, sendo encontrada sem vida momentos após.

G1 | Reprodução

Após 6 anos, a angústia dos pais de Beatriz Angélica Mota pode ter chegado ao fim. De acordo com o site G1, a menina de 7 anos foi morta com 42 facadas no interior do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, enquanto participava da festa de formatura da irmã na companhia dos pais. Em dado momento, Beatriz teria pedido à mãe para beber água, desaparecendo em seguida.

Publicidade

Percebendo o sumiço, os pais da menina pediram ajuda aos demais presentes para localizá-la, já que a cerimônia contava com cerca de 2 mil pessoas. Beatriz foi localizada em um depósito de materiais esportivos com cerca de 42 facadas pelo corpo, na região do tórax, braços e pernas. A arma utilizada no crime foi deixada no local.

Câmeras de segurança chegaram a detectar um homem pelas localidades do crime, mas sua identidade não foi descoberta. Porém, nesta semana, pouco mais de 6 anos após o crime, a Polícia Científica de Pernambuco afirmou ter identificado o possível responsável pelo crime.

Publicidade

O homem seria Marcelo da Silva, de 40 anos, que já se encontra preso por estupro de vulnerável. Através de um cruzamento de material genético a polícia chegou até o suspeito, que teria confessado o crime. Marcelo ainda teria revelado qual foi a motivação para tirar a vida de Beatriz de apenas 7 anos.

Publicidade

Ao haver contato do assassino com a vítima, ela teria se desesperado e, por isso, foram dados os golpes de faca. Essa teria sido a motivação“, contou Humberto Freire, secretário de Defesa Social de Pernambuco. Lúcia Mota, mãe de Beatriz, comentou o caso e lamentou a demora da polícia para solucionar o assassinato.

Publicidade
Publicidade