in

Porta-voz dos bombeiros cita fatores que podem ter causado o deslizamento em Capitólio; são 7 o número de vítimas

O acidente aconteceu neste sábado (8), após uma imensa rocha despencar de um cânion, em Capitólio, Minas Gerais.

Folha de S. Paulo

O Brasil ficou em choque com a notícia de um deslizamento de pedras no Lago de Furnas, em Capitólio, Minas Gerais, neste sábado (8). Cerca de quatro embarcações sofreram com o impacto da imensa formação rochosa, que despencou do cânion e atingiu as lanchas que transportavam turistas.

Publicidade

Não demorou muito para que o vídeo do momento exato do acidente passasse a circular nas redes sociais e em aplicativos de mensagens instantâneas.

Logo nos primeiros momentos duas mortes haviam sido confirmadas pelo Corpo de Bombeiros, mais tarde outras três foram anunciadas, totalizando cinco. Agora, já chega em sete o número de vítimas fatais do acidente.

Publicidade

Além disso, cerca de vinte pessoas foram dadas como desaparecidas logo após o acontecimento, número este que já foi atualizado e reduzido para quatro. “As buscas não cessarão”, afirmou o comandante-geral do Corpo de Bombeiros.

Publicidade

Capitólio, cidade onde ocorreu o acidente, a cerca de 300 quilômetros de Belo Horizonte, banhada pelo Lago de Furnas, é destino de muitos turistas que buscam as belezas naturais de Minas Gerais.

Publicidade

A região tem sido castigada por fortes chuvas e, na última sexta-feira (7), o Instituto Nacional de Meteorologia chegou até a emitir um alerta por conta de chuvas intensas que poderiam se estender até a manhã deste sábado (8).

Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, esclareceu que o local é formado por rochas do tipo sedimentar, fator que associado à grande quantidade de chuva torna os paredões extremamente frágeis por conta da erosão.

Publicidade

Escrito por Higor Mendes

Redator com três anos de experiência, apaixonado por história da Segunda Guerra Mundial, política, futebol e curiosidades em geral.