in

Polícia impede casamento e mulher descobre que levou golpe de mais de 1 milhão do noivo

Uma noiva descobriu, momentos antes da cerimônia, que tinha caído em golpe aplicado pelo ‘noivo’ e conhecidos.

Facebook/ G1

Uma mulher de 45 anos, que trabalha como servidora na Câmara dos Deputados/ Brasília, teve a maior decepção no dia do seu casamento, que estava marcado para a última quarta-feira (05/01). Ela descobriu horas antes da cerimônia que foi alvo de um golpe aplicado pelo próprio noivo.

Publicidade

Hudson da Silva Ferreira, de 31 anos, se relacionava com a vítima há dois anos e, nesse período, conseguiu extorquir da mulher quase 1 milhão de reais. Segundo Luiz Gustavo Neiva Ferreira, delegado responsável pelo caso, eles entraram em contato com a vítima por volta das 05 da manhã mostrando as provas do crime cometido pelo rapaz. A cerimônia de união entre os dois estava agendada para as 15 horas. 

O estelionatário morava em Planaltina de Goiás e usava de histórias inventadas para tirar dinheiro da parceira durante esses dois anos de relação. Segundo os investigadores, a mulher não acreditou no golpe quando os policiais chegaram em sua residência e só dizia ser o dia de seu casamento. A vítima só caiu em si quando os agentes policiais levaram o rapaz até ela e ele confessou o golpe. Somente assim ela tomou a atitude de escrever uma carta ao cartório pedindo o cancelamento da cerimônia, pois tinha caído em um golpe.

Publicidade

Além do noivo, mais três pessoas estavam envolvidas no esquema, inclusive a empregada doméstica da vítima, que foi quem apresentou os dois. A intenção era que os dois virassem um casal e o golpe fosse aplicado. As outras duas pessoas são próximas ao rapaz e começaram a ter contato com a vítima, após o relacionamento, sendo um deles um suposto pai de santo e guia espiritual. 

Publicidade

Para tirar dinheiro da mulher, eles inventavam consultas com o guia espiritual, no valor de 22 mil cada, além de internação para o noivo, em uma clínica de reabilitação, que saía em 14 mil por mês. Ela pagou também 53 mil para uma suposta dívida com traficantes e 16 mil para uma suposta multa por violência doméstica. Delegado afirma: “Sentamos com a família da vítima, fizemos alguns cálculos e o valor dos golpes já ultrapassa R$ 1 milhão. Em 16 anos de polícia, nunca vi nada parecido”.

Publicidade

Publicidade