in

Médico que perdeu filha para Covid comemora vacina para crianças e desabafa: ‘Podia ter liberado isso antes’

Á época da morte da filha, Rodolfo Silva chegou a clamar pela liberação da vacina para crianças.

EPTV | Reprodução

O médico Rodolfo Aparecido da Silva, morador de Ribeirão Preto, perdeu a filha Alicia para a Covid-19 em janeiro do ano passado. À época, Rodolfo chegou a fazer um apelo para que as autoridades liberassem a vacina para crianças menores de 12 anos. De acordo com o site G1, nesta semana, crianças de 5 a 11 anos foram incluídas no Plano Nacional de Vacinação pelo Ministério da Saúde.

Publicidade

O médico celebrou a notícia e afirmou que em breve um de seus dois filhos, de 11 anos, poderia receber o imunizante. Rodolfo ainda tem uma filha de 3 anos. Rodolfo comemorou a liberação e alertou sobre o aumento de casos de Covid-19 nas últimas semanas.

O pai de Alicia ainda chamou a atenção para o comportamento da maioria das crianças em não relatarem aos pais sobre os sintomas que sentem. De acordo com o médico, o bloqueio se dá pelo medo dos pequenos em irem até o hospital, portanto, o uso do imunizante seria essencial.

Publicidade

Continuo achando que podia ter liberado isso antes, mas graças a Deus não demorou muito. Estamos falando de dezembro e já no início de janeiro está liberado. Fico feliz” disse Rodolfo em entrevista ao site G1. O Ministério da Saúde divulgou como será o calendário de vacinação para as crianças na faixa etária de 5 a 11 anos.

Publicidade

A imunização seguirá ordem decrescente e priorizará crianças com doenças graves ou permanentes. Pais ou responsáveis deverão comparecer juntos aos menores no dia da vacinação, caso não seja possível, deverão providenciar uma autorização por escrito. Não será exigida receita para a aplicação do imunizante, porém, orienta-se que os pais procurem um médico que possa indicar a vacinação.

Publicidade
Publicidade