in

Brasil bate recordes de divórcios em um ano; isolamento é um dos principais motivos

Casais foram obrigados a permanecer mais tempo em casa, fato que aumentou o número de conflitos.

Reprodução/CIDADE-BRASIL

Com a chegada da pandemia de Covid-19 no início de 2020 várias medidas de contenção tiveram que ser tomadas para frear a propagação do vírus. As medidas mais utilizadas em todo o mundo foram as restrições e o isolamento social. Tal fato deu a oportunidade de casais ficarem mais tempo juntos em casa, contudo, ao que parece isso não foi benéfico.

Publicidade

De acordo com dados transmitidos pelo Colégio Notarial do Brasil (CNB), somente em 2021 foram registrados cerca de 77.112 divórcios consensuais no país. Em comparação com o ano de 2020, o número de divórcios aumentou em 266 casos, mas o número bateu um recorde histórico desde o ano de 2007.

No ano de 2019, antes da ocorrência da pandemia, foram registrados no Brasil cerca de 75 mil divórcios. Entretanto, não foi somente a pandemia que contribuiu para o aumento de separações. A Corregedoria Nacional de Justiça autorizou, em junho de 2021, que atos notarias de escrituras (divórcio, inventário, partilha, entre outros) poderiam ser realizados através de videoconferência.

Publicidade

Para que o casal consiga realizar o divórcio de maneira remota é importante que a decisão seja tomada em mútuo consenso, ademais também não pode haver pendências com filhos menores ou incapazes. O processo de divórcio é conduzido por um tabelião.

Publicidade

É importante ressaltar que alguns estados brasileiros proíbem o divórcio extrajudicial, caso, o casal possua filhos menores. O estado de São Paulo, por sua vez autoriza, mas é necessário que antes o casal se dirija a algum fórum e regularize a questão da guarda e pensão alimentícia.

Publicidade

Publicidade