in

Bolsonaro diz que não vacinará filha e manda recado ao Judiciário

Chefe do Executivo voltou a se posicionar contrário à aplicação do imunizante em crianças.

REPRODUÇÃO/FACEBOOK/JAIR BOLSONARO

Contrário à vacinação contra a Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a se posicionar nesta segunda-feira (27) tecendo comentários críticos aos imunizantes.

Publicidade

Em conversa com a imprensa durante evento realizado em Santa Catarina, o chefe do Executivo disse esperar que o Judiciário não interfira na vacinação de criança entre 5 a 11 anos, e enfatizou que sua filha, de 11 anos, não receberá a dose da vacina.

“Estamos conversando com o [ministro da Saúde, Marcelo] Queiroga nesse sentido. Ele, dia 5, deve ditar normas de como é que deve se vacinar crianças. Eu espero que não haja interferência do Judiciário; Espero, porque a minha filha não vai se vacinar”, disparou Jair Bolsonaro.

Publicidade

A vacinação infantil contra a Covid-19 levantou uma grande discussão nos últimos dias. Em meio a este cenário, o Ministério da Saúde pretende realizar uma audiência na primeira semana de janeiro para definir qual postura será adota. 

Publicidade

Em uma nota enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta segunda-feira (27), a secretária extraordinária no combate ao coronavírus, sinalizou que o imunizante é totalmente seguro para crianças maiores de cinco anos. 

Publicidade

Recentemente, o partido Rede Sustentabilidade fez uma petição para exigir a prescrição médica em casos de vacinação para crianças nesta faixa etária. 

Repetição

Essa não é a primeira vez que Jair Bolsonaro se posiciona contrariamente à imunização de crianças no combate à pandemia do coronavírus. Recentemente, o chefe do Executivo utilizou o baixo índice de mortes por Covid-19 nesta faixa etária para afirmar que “não se justifica” a vacinação no grupo infantil.

Publicidade