in

Covid-19 deixa de ser a principal causa de óbitos em São Paulo após avanço na vacinação

São Paulo acumula números significativos na campanha de vacinação em solo nacional.

Reprodução Estado de Minas

Depois de um longo tempo sofrendo com um quadro delicado de infecções pelo coronavírus, o estado de São Paulo começa a ter bons números na luta contra a Covid-19. Na última quarta-feira (15), o governador João Doria informou que a doença deixou de ser a principal causadora de mortes no estado.

Publicidade

As fatalidades oriundas de complicações da Covid-19 são inferiores aos indicadores de doenças do aparelho circulatório e todos os tipos de câncer. Os números foram evidenciados após análise feita pela Secretaria de Estado da Saúde, e comprovam a mudança de cenário com o avanço da campanha de vacinação. 

No último mês, a Covid-19 representou 12% do índice total de mortes registradas em São Paulo, foram pouco mais de 2 mil mortes de um quantitativo de quase 17 mil.

Publicidade

Em abril deste ano, por exemplo, São Paulo chegou a contabilizar 21.539 vítimas fatais da doença, de um total de 47.193 mortes, superando assim outros quadros de doenças e índices como perdas de vidas em acidentes.

Publicidade

Avanço significativo da vacinação

Em curso rápido, a vacinação no estado de São Paulo chegou a marca de 95% de imunizados entre a população adulta no mês de agosto, fato que impulsionou a queda de casos mais graves e óbitos oriundos da doença.

Publicidade

Se o estado de São Paulo fosse um país, ele estaria na terceira posição do ranking de nações que mais imunizaram sua população contra a Covid-19 em escala global. De acordo com dados das autoridades sanitárias, o estado computa 78,09% dos seus habitantes vacinados com duas doses.

No comparativo com países que possuem população igual ou superior a casa dos 40 milhões, São Paulo só perderia para Coreia do Sul, que já vacinou mais de 81%; e da Espanha, que aparece com 80,74% da população com o esquema de vacinação completa. 

Publicidade