in

Auxílio Emergencial: 350 mil pessoas receberam o benefício de forma indevida; governo toma decisão

Ministério da Cidadania vem enviando mensagens nos celulares orientando a devolução do dinheiro.

Jornal de Brasília

Responsável por balanços envolvendo o Auxílio Emergencial, o Tribunal de Contas da União (TCU) anunciou nesta segunda-feira (6), que 350 mil pessoas receberam o benefício de forma indevida, sem atender os pré-requisitos estabelecidos. Ao todo, o valor pago estimado pelo governo para este quantitativo de pessoas atinge a casa de R$ 100 milhões.

Publicidade

O índice corresponde a pagamentos realizados entre os meses de abril a julho deste ano. Monitorando os recebimentos, uma equipe de fiscalização encontrou vários casos de beneficiários que sacaram parcelas mesmo tendo emprego forma em órgão público, ou quem recebiam algum benefício da Previdência Social, além de empresários e pessoas com CPF em situação irregular. 

Na última semana, o governo federal através do Ministério da Cidadania iniciou o envio de mensagens para os aparelhos de celular dos beneficiários que receberam as cotas de forma indevida, orientando a devolução voluntária do montante recebido. Ao todo, cerca de 650 mil brasileiros já foram notificados. Esta é a terceira vez que a pasta dispara mensagens solicitando a devolução do dinheiro. 

Publicidade

Final decretado

Depois de 16 parcelas pagas pelo governo federal vai Caixa Econômica, o Auxílio Emergencial teve o seu término em outubro deste ano. Em 2021, foram sete cotas pagas do programa, com valores oscilando de acordo com o perfil de cada beneficiário. A última leva tinha cifras oscilando entre R$ 150 a R$ 375.

Publicidade

Com a descontinuação do programa, cerca de 20 milhões de brasileiros ficaram sem nenhum tipo de benefício pago pelo governo federal. No lugar do Bolsa Família, o governo lançou o Auxílio Brasil, que nesta semana inicia o cronograma de segunda cota.

Publicidade
Publicidade