in

Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco é anunciado como candidato à Presidência da República pelo PSD

Parlamentar teve pré-candidatura oficializada neste sábado (23) em evento do seu novo partido.

TV Senado/PrtScr/M.R

Responsável por presidir o Senado, Rodrigo Pacheco é pré-candidato à presidência da República. O parlamentar deixou o DEM-MG e se filiou ao Partido Social Democrático (PSD) na última sexta-feira (22).

Publicidade

Em declaração dada em um evento do PSD, o presidente do partido, Gilberto Kassab, disse que o Pacheco só não irá concorrer ao posto de chefe do Executivo no próximo ano se não quiser. 

“O Rodrigo vai se filiar na quarta-feira, e ele só não será nosso candidato a presidente da república se não quiser. Eu tenho certeza absoluta que, após refletir, ele não vai se negar a cumprir essa missão”, afirmou Kassab.

Publicidade

Presente no evento, o presidente do Senado não quis falar sobre a candidatura, mas fez questão de apresentar algumas propostas de políticas públicas, citando a necessidade, por exemplo, da criação de um programa de assistência social. 

Publicidade

No início do ano, Pacheco foi um dos parlamentares que se movimentaram para viabilizar a extensão do programa Auxílio Emergencial, que acabou sendo descontinuado em dezembro, e retomado no primeiro semestre de 2021, após intensa movimentação.

Publicidade

Ao lado de Eduardo Lira, presidente da Câmara dos Deputados, Pacheco se mostrou receptivo à petição de outros parlamentares favoráveis à continuidade do programa, que foi retomado com quatro parcelas, e posteriormente esticado com mais três pagamentos.

Terceira via

Com a pré-candidatura anunciada, Pacheco chega para figurar como a “terceira força” na próxima eleição presidencial, para fazer frente contra o atual chefe do Executivo, Jair Bolsonaro (sem partido), e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). 

Publicidade