in

Auxílio Emergencial: cerca de 20 milhões de brasileiros devem ficar sem o benefício em novembro

Governo anunciou o lançamento do Auxílio Brasil nesta semana; mas benefício não atenderá todos.

Jornal de Brasília

A Caixa Econômica Federal realiza até o final deste mês de outubro o pagamento da última cota prevista do Auxílio Emergencial no modelo fixado pelo governo. A partir do próximo mês, ao menos 20 milhões de pessoas ficarão sem nenhum benefício, diante da não prorrogação do programa.

Publicidade

Em pronunciamento, o governo federal afirmou que iniciará os pagamentos do Auxílio Brasil a partir de novembro. O benefício, por sua vez, virá com a missão de substituir o Bolsa Família. Contudo, somente uma parte dos beneficiários que atualmente recebem o Auxílio Emergencial poderá integrar o novo programa.

Na última quarta-feira (20), o ministro da Cidadania, João Roma, informou que o novo programa irá ampliar a cobertura do Bolsa Família, que atualmente conta com 14,7 milhões beneficiários. A expectativa é que mais 2,7 milhões de brasileiros sejam atendidos, saltando o banco de beneficiários para 16,9 milhões, e zerando a fila de espera.

Publicidade

No momento, há uma fila de famílias inscritas no CadÚnico e que preenchem os requisitos estabelecidos, mas que não recebem o benefício em função da falta de verba para o programa. 

Publicidade

Queda

Ao longo dos últimos meses, o Ministério da Cidadania vem promovendo cortes no Auxílio Emergencial, inviabilizando o pagamento para pessoas que não cumpre as regras fixadas. Em agosto, o benefício foi pago a quase 40 milhões, índice que caiu para 35 milhões após reavaliações.

Publicidade

Deste quantitativo, cerca de 20 milhões, o que representa 57%, não estão no CadÚnico, e com isso não entra na fila do Bolsa Família, estando automaticamente fora do Auxílio Brasil. 

Os pagamentos do Auxílio Emergencial serão concluídos até o final deste mês, para beneficiários do Bolsa Família e o público em geral. 

Publicidade