in

Filho de Doria diz em evento com o pai: ‘Quem se sentir à vontade de tirar a máscara, pode tirar’

O filho do governador destacou que a maioria dos presentes no evento estava vacinado ou tinha testado negativo.

Reprodução/Lide

O filho do governador de São Paulo, João Doria, João Doria Neto, afirmou em um evento que o uso de máscara era opcional no local, destacando que a maioria dos presentes já estava imunizada contra a Covid ou testaram teste negativo para a doença.

Publicidade

Quem se sentir à vontade de tirar a máscara, pode tirar”, disse Neto ressaltando que a maioria havia apresentado comprovante de vacinação ou PCR negativo. 

O filho de Doria fez tal declaração durante o 20° Fórum Empresarial Lide, que contou com a presença de políticos e empresários, como por exemplo, o ex-presidente da República, Michel Temer. João Doria e a presidente do instituto Ayrton Senna, Viviane Senna, também marcaram presença no evento.

Publicidade

Logo depois da fala do filho sobre as máscaras, Doria foi até o púlpito e deu início ao seu discurso. Citando alguns dados econômicos do governo do estado de São Paulo, o político destacou que promover reformas no momento é o mesmo que ir na contramão do populismo. 

Publicidade

O tucano também afirmou que políticos a quem ele respeita diziam: “Não faça reformas em ano par“. Segundo o governador, tais pessoas diziam que ano de eleição não é ano para fazer reformas. Diante disso, Doria diz não estar no governo do estado para fazer populismo, destacando que se esse fosse o motivo de sua eleição, ele não teria decretado a primeira quarentena do país quando a pandemia começou. 

Publicidade

João Doria prosseguiu dizendo que se quisesse fazer populismo também não teriam decretado uma lei tornando o uso de máscara de proteção obrigatório. Em seguida, ele ainda destaca que o uso do item ainda é obrigatório até o dia 31 de dezembro no estado de São Paulo.

Publicidade