in

Ronnie Lessa, acusado de matar Marielle Franco, recebe novo mandado de prisão

O ex-policial e esposa são acusados de lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio.

NurPhoto//Getty Images

Na última quinta-feira, 14, a 1ª Vara Especializada do Rio de Janeiro (RJ) expediu um novo mandado de prisão preventiva para o ex-policial militar Ronnie Lessa, um dos acusados do homicídio da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson do Carmo. Também expediu novo mandado para sua esposa, Elaine Pereira Figueiredo Lessa, ambos pelo crime de lavagem de dinheiro.

Publicidade

Ronnie cumpre pena de reclusão pelo crime de duplo homicídio, desde março de 2019, na Penitenciária Federal de Segurança Máxima de Campo Grande, MS. A esposa foi presa em julho deste ano pelo crime de tráfico internacional de armas, e cumpre pena no complexo Penitenciário de Bangu, na zona oeste do Rio.

Através de uma análise detalhada nas investigações dos homicídios, foram identificadas divergências entre a renda declarada por Ronnie e seu estilo de vida em alto padrão com a família. Segundo o Ministério Público, a suspeita que levou a abertura de inquérito, confirmou a atividade criminosa da família Lessa de ocultação de patrimônio através de terceiros, denominados ‘laranjas’.

Publicidade

A quebra do sigilo bancário e fiscal pela Justiça, teve papel fundamental na apuração do esquema criminoso, que além de ter descoberto a movimentação financeira milionária de Ronnie entre 2014 a 2019, determinou medidas cautelares a seu irmão Denis Lessa, e Alexandre Motta Souza, amigo da família, por colaborarem no crime como laranjas.

Publicidade

De acordo com o Ministério Público, a situação se agrava, tendo em vista que ocorreram dissimulações em transações imobiliárias, em que Ronnie teria declarado a compra de imóveis com valores muito inferiores à realidade, a fim de não levantar suspeitas na Receita Federal.

Publicidade
Publicidade