in

Pai sacode bebê de forma violenta e provoca danos cerebrais; sequelas são irreparáveis

O homem teria ficado nervoso e acabou chacoalhando o filho de forma violenta, resultando em sérios danos à criança.

Crescer/Ficargravida

Os bebês precisam de muito cuidado, atenção e paciência dos pais. No entanto, nem sempre isso acaba acontecendo. Um pai foi condenado à prisão após ter provocados graves danos cerebrais no filho de quatro meses. O caso aconteceu na Inglaterra, no ano passado, mas o julgamento somente ocorreu na última semana.

Publicidade

Benjamin Welsh, o pai de 21 anos de idade, sacudiu o filho com tanta violência que causou lesões graves na criança. Segundo o que foi noticiado por um portal de notícias local, os pais do bebezinho somente levaram o garotinho ao hospital após ter passado 30 horas do incidente. Quando finalmente o bebê foi levado para atendimento médico, a mãe, Elisha Wilson, de 21 anos, teria informado à equipe que prestou atendimento ao garoto e que ele havia parado de respirar durante a noite.

Inclusive, a mulher teria dito que aplicou as manobras de RCP – Ressuscitação cardiopulmonar. Contudo, o objetivo era tentar justificar as marcas de agressão que estava no corpinho do pequeno. A equipe médica que prestou atendimento logo constatou que a criança havia sofrido lesões no cérebro e, ao suspeitar de maus-tratos, acionaram a polícia.

Publicidade

O juiz que atuou no caso, Patrick Field, acrescentou durante a audiência que o bebezinho sofreu rompimento do fígado e teve uma costela fraturada. O magistrado frisou, ainda, que um bebê necessita dos pais para o cuidado do dia a dia, mas ao invés de proteger o filho, o homem acabou colocando a sua vida em risco. “Mas você o atacou porque ele estava chorando, o segurou e o sacudiu violentamente”, ressaltou Field.

Publicidade

Os atuais responsáveis pelos cuidados da criança afirmam que ele não senta, engatinha, anda, rola ou fica em pé sozinho. Os cuidadores ainda afirmaram que é muito provável que o menino precise de acompanhamento médico pelo resto da vida. Os profissionais que acompanham o caso não sabem se a audição da criança vai se desenvolver, ou se vai ser capaz de sentir cheiro e gosto. Os pais foram condenados por crueldade com a criança com o agravante de não ter buscado ajuda médica imediata.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.