in

Vídeo: homem diz que irmão foi preso no seu lugar, confessa crimes e pede para ser preso

Vicente afirmou que quando era detido fornecia o nome do irmão, o que acabou tornando seu familiar foragido da Justiça.

Reprodução/Youtube

Um morador do Recanto das Emas, no Distrito Federal, e sua família, estão vivendo um verdadeiro pesadelo. Denis Goulart Lopes, de 38 anos, foi preso na última sexta-feira (8), enquanto trabalhava em uma padaria da região, onde faz salgados.

Publicidade

Denis estava no meio de seu expediente quando policiais chegaram ao local portando um mandado de prisão expedido em seu nome por conta de um furto ocorrido no ano de 2009, em Uberlândia. A história tinha tudo para ser mais um caso de uma prisão efetuada com sucesso, se, na verdade, o culpado pelo crime não fosse o irmão do rapaz, Vicente Wallace Goulart Lopes, de 33, que ao ser detido na época do furto deu o nome do irmão.

Em entrevista ao portal de notícias Metrópoles, Vicente não negou ser o responsável pelo crime, muito pelo contrário, ele assumiu a autoria e ainda afirmou estar arrependido de ter fingido ser o irmão. “O que eu quero é que meu irmão saia, porque ele nunca foi criminoso. Estou desesperado, muito preocupado com ele”, disse ele.

Publicidade

Wallace conta que sua prisão se deu em Minas Gerais e, na ocasião, passou 30 dias detido por conta de um furto a uma loja. Segundo ele, no momento em que o abordaram, ele afirmou eu não tinha os documentos, porém, informou todas as informações pessoais de seu irmão.

Publicidade

O homem relata ainda que, após passar um período detido, se mudou para o estado de Goiás e não retornou para ser julgado, resultando no nome de Denis passar a constar como procurado pela Justiça de Minas Gerais.

Publicidade

Com a concretização da prisão de Denis, na última sexta-feira (8), o próprio Wallace se prontificou e contratou uma advogada para tirar seu irmão da cadeia. Em vídeo, ele assume os crimes que cometeu e pede a soltura de seu irmão.

“Estou correndo atrás agora para provar isso. Podem pegar a foto que tem no presídio e a digital e comparar com ele, que vão ver que é diferente”, diz ele durante a gravação.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Higor Mendes

Redator com três anos de experiência, apaixonado por história da Segunda Guerra Mundial, política, futebol e curiosidades em geral.