in

Após veto do pai, Eduardo Bolsonaro ironiza: ‘mulheres só menstruam se Bolsonaro deixar’

O filho 02 de Bolsonaro ironizou a deputada Tabata Amaral, que caracterizou o veto de Bolsonaro como ‘desumano’.

Fabio Rodrigues Pozzebom/Arquivo Agência Brasil

O deputado Eduardo Bolsonaro, filho 02 do presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido), usou o seu perfil no Twitter para ironizar a deputada Tabata Amaral (PSB-SP).

Publicidade

Nas rede sociais, Eduardo compartilhou uma publicação que continha a hashtag #LivreParaMenstruar e ainda a frase “Bolsonaro, me deixe menstruar!”. Para legendar sua publicação, o deputado escreveu: “agora mulheres só menstruam se o Bolsonaro deixar”.

O filho do presidente ainda acusou Tabata Amaral de fazer lobby por causa do projeto que previa a distribuição gratuita de absorvente para meninas e mulheres carentes, projeto esse que foi vetado por Bolsonaro na quinta-feira, 7. Vale lembrar que a deputada chegou a classificar o veto do presidente como “desumano”.

Publicidade

Em sua publicação, o deputado chegou inclusive a dizer que o patrocinador da campanha de Tabata, Jorge Paulo Lemann, é dono da produtora de absorventes P&G- o que não é verdade, já que a empresa é uma multinacional e tem capital aberto. Diante disso, Lemann pode, no máximo, ser um dos acionistas da empresa.

Publicidade

Eduardo Bolsonaro diz que a deputada Tabata Amaral está agindo de uma maneira quase infantil e, assim, ao ver do deputado, ela pretende atender ao lobby do seu mentor-patrocinador, ao invés de realmente conseguir um benefício para a classe mais necessitada do Brasil.

Publicidade

Vale destacar que Bolsonaro vetou o projeto de distribuição gratuita de absorvente na última quinta-feira, 7, e desde então vem sendo muito criticado nas redes sociais. Após vetar o projeto, Bolsonaro chegou a afirmar ter sido obrigado a tomar essa atitude, isso porque, segundo ele, no projeto não continha a fonte dos gastos com a distribuição de absorvente.

Publicidade
Publicidade