in

Pedreiro que concretou jovem em obra afirma que pagava entre R$ 50 a R$ 60 por encontros íntimos com a vítima

De acordo com o pedreiro, ele e a vítima já teriam se relacionado por outras vezes.

G1 | Divulgação

Um crime bárbaro ocorrido em São Vicente, litoral de São Paulo, segue desafiando a polícia local. O pedreiro Edmilson Veríssimo da Silva é acusado de ter matado e concretado a jovem Joice Maria, de 25 anos, em uma obra onde prestava serviços. Segundo o site G1, a jovem estava desaparecida há mais de uma semana.

Publicidade

O corpo de Joice foi encontrado na última terça-feira (5), pelo proprietário do terreno onde a obra estava sendo realizada. Edmilson foi preso em flagrante em sua residência e acabou confessando o crime, afirmando que contou com a ajuda do autônomo Jonathas Soares de Santana, de 35 anos.

Em depoimento obtido pelo site G1 nesta terça (8), o pedreiro contou que já conhecia a vítima há cerca de 6 anos, e que costumava pagar a quantia de R$ 50 a R$ 60 por encontros íntimos com a jovem. A polícia acredita que a relação entre ambos tenha sido consensual, mas não descarta a hipótese de abuso.

Publicidade

Edmilson contou, ainda, que após a prática de relações íntimas com Joice, subiu ao andar de cima e a deixou na companhia de Jonathas. Em dado momento, passou a ouvir uma discussão entre os dois, e, ao ir até o local, se deparou com o homem estrangulando a jovem com o auxílio de uma camiseta.

Publicidade

O pedreiro afirmou que temeu que o homem estivesse armado e optou por ajudá-lo a enforcar a moça, escondendo seu corpo em uma parede de concreto em seguida. Jonathas nega que tenha participação no crime. Exames realizados no corpo de Joice apontarão a suposta existência de abuso sexual. Os advogados dos acusados ainda não se manifestaram sobre o caso.

Publicidade
Publicidade
Publicidade