in

Pai de Henry encontra Monique em audiência e conta frase dita pelo filho antes da morte: ‘Mamãe é má’

Os pais de Henry Borel ficaram frente a frente pela primeira vez desde que Monique foi presa.

Metrópoles | Montagem Ingrid Machado

Leniel Borel e Monique Medeiros, pais do menino Henry, estiveram frente a frente no 2º Tribunal do Júri do Rio de Janeiro. Monique e o ex-companheiro, Jairo Souza, estão presos pela morte do menino. Henry faleceu no dia 8 de março deste ano enquanto estava na companhia da mãe e do padrasto. O laudo da necropsia realizada na criança apontou diversas lesões contundentes.

Publicidade

Após as investigações, Monique e Jairo Souza foram presos por homicídio qualificado, tortura, dentre outros crimes. A mãe de Henry alega inocência e afirma que vivia em um relacionamento abusivo ao lado do ex-vereador Jairinho. Leniel Borel, ex-marido da professora, contesta esta versão e diz que Monique foi conivente com as agressões sofridas pelo filho.

De acordo com o site Metrópoles, o engenheiro participa do julgamento da ex-esposa como assistente de acusação. Durante a primeira audiência, Leniel relembrou o dia da véspera da morte do filho. Segundo o engenheiro, Henry se recusava veementemente a retornar para a casa da mãe e do padrasto.

Publicidade

Em conversa com o filho, Leniel teria tentado convencê-lo a voltar pra casa. “Não dei o último dia para o meu filho. Ele disse: papai não quero ir. Quando o Henry se desesperou ao ver a Monique chegar, eu disse ‘vai com a mamãe“, contou o engenheiro. Segundo ele, Henry teria dito uma frase marcante: “Não. Mamãe não é boa, mamãe é má“.

Publicidade

Durante vários momentos do depoimento, Leniel e Monique foram às lágrimas, sobretudo no momento em que foi exibido um vídeo de Henry entoando uma canção católica. Jairo Souza não participou da audiência de forma presencial por questões de segurança.

Publicidade
Publicidade
Publicidade