in

Ministro da economia e presidente do Banco Central podem ser investigados

Pandora Papers revela que Paulo Guedes e Roberto Campos estão envolvidos em Offshores.

BANCO CENTRAL

Neste domingo (3), através da investigação denominada Pandora Papers, realizada por mais de 600 Jornalistas Investigativos Internacionais, foi revelado ao mundo uma lista com os maiores titulares de dívidas fiscais, incluindo empresários e políticos do Brasil, que possuem “Offshores” em paraísos fiscais. Dentre os brasileiros citados, destacou-se o ministro da Economia Paulo Guedes e o presidente do Banco Central, Roberto Campos.

Publicidade

Pelo fato de Guedes e Roberto estarem na lista, nesta segunda-feira (4), líderes de partidos políticos da oposição solicitaram, perante o Ministério Público Federal, a instauração de inquérito para apuração das movimentações financeiras de empresas dos mesmos nas Ilhas Virgens Britânicas.

Paulo Guedes adquiriu, em 2014, a Offshore chamada “Dreadnoughts”, na qual sua esposa e filha são sócias. A grande polêmica se dá pelo fato do Ministro manter sua empresa ativa durante o seu mandato, alegando que realiza a declaração fiscal da mesma na Receita Federal do Brasil.

Publicidade

Já o presidente do Banco Central incorporou a Offshore “Cor Assets” nas Ilhas Virgens em 2004, mantendo-a até agosto de 2020, data em que foi feita a sua dissolução. Em nota, Roberto declarou: “Não houve nenhuma remessa de recursos às empresas após a minha nomeação”.

Publicidade

Os locais chamados de paraísos fiscais são frequentemente utilizados devido às facilidades oferecidas, como o sigilo bancário e a baixa tributação. Também são utilizados para lavagens de dinheiro e depósitos de dinheiros de procedência ilícita. No Brasil é lícito a abertura de Offshores, desde que devidamente declaradas para a Receita Federal.

Publicidade

Publicidade
Publicidade