in

Pai instala câmera escondida no quarto de babá dos filhos e acaba preso

A babá Kelly Andrade fugiu apavorada e procurou a polícia para denunciar o patrão.

Reprodução/Mirror + Revista Crescer

A babá Kelly Andrade, de 25 anos, entrou com um processo na justiça acusando seu antigo patrão, Michael Esposito, de supostamente instalar uma câmera espiã em seu quarto e gravar secretamente “centenas” de vídeos sem sua autorização.

Publicidade

No processo judicial aberto em Nova York, Estados Unidos, a babá afirmou que foi filmada secretamente sem roupa e só descobriu a câmera após encontrar um cartão de memória com centenas de vídeos gravados de seu quarto. A jovem ainda revelou que o patrão tentou arrombar a porta de seu quarto após a descoberta do cartão, deixando-a tão apavorada que acabou pulando pela janela do seu quarto para escapar.

Kelly disse que procurou a polícia imediatamente após fugir do local e registrou uma denúncia pelo caso. O homem, identificado com Michael Esposito, foi preso no dia 24 de março desse ano sob acusação de vigilância ilegal.

Publicidade

Entenda o Caso

Kelly Andrade é colombiana e reside nos Estados Unidos há alguns anos, trabalhando como babá para conseguir pagar suas contas. A jovem morava na casa da família em Tottenville, Nova York, junto com Michael, a esposa e os quatro filhos.

Publicidade

Segundo informações do New York Post, a babá tinha um quarto separado para dormir na residência. Trabalhar como babá e receber moradia grátis em troca do serviço é um prática comum nos Estados Unidos e atrai imigrantes de todo o mundo.

Publicidade

Câmera instalada no detector de fumaça

Kelly afirmou para a polícia que já havia flagrado o homem em seu quarto, mas o patrão alegou que estava dando manutenção no detector de fumaça, instalado no teto do quarto. A babá ainda contou que o dispositivo de segurança era constantemente reposicionado pelo patrão.

Após duas semanas de desconfiança, a jovem decidiu verificar o dispositivo e acabou encontrando uma câmera acoplada, contendo um cartão de memória com vários vídeos gravados. O cartão foi entregue para os policiais no momento da denúncia.

Publicidade
Publicidade