in

Clínica de Recuperação Grupo Casoto- Como tratar um dependente químico na pandemia de Coronavírus

Covid-19 aumenta número de pessoas viciadas em drogas e alcoólatras no Brasil

Grupo Casoto

A internação de dependentes químicos no meio da atual pandemia do Coronavírus pode ser um processo tão fácil quanto difícil, geralmente esse fato é determinado justamente com a capacidade de aceitação que o dependente possui ou não a este tratamento. Para isso Fernando fundadores do Grupo Casoto vai explicar um pouco mais sobre o tema.

Publicidade

A COVID-19 afeta diferentes pessoas de diferentes maneiras. A maioria das pessoas infectadas apresentam sintomas leves a moderados da doença e não precisarão ser hospitalizadas.

Sintomas mais comuns:

Publicidade

febre

Publicidade

tosse seca

Publicidade

cansaço

Sintomas menos comuns:

dores e desconfortos

dor de garganta

diarreia

conjuntivite

dor de cabeça

perda de paladar ou olfato

erupção cutânea na pele ou descoloração dos dedos das mãos ou dos pés

Logo se o mesmo sente que realmente precisa de ajuda dá um jeito e vai atrás, no entanto, se o mesmo não sente que está com problemas acaba achando que está tudo certo e que não tem necessidade de entender que está doente.

Apesar de parecer uma realidade distante o fato é que muitas pessoas estão caindo no vício ou dependência química, basta apenas reconhecer os sinais e então começar um processo que pode vir a ser longo, mas de recuperação plena e uma nova vida.

Como é a internação de dependentes químicos de álcool? 

A internação da dependência química alcoólica em clínicas de recuperação nada mais é do que uma busca de solução para um problema de saúde, isso porque muitas pessoas estão frequentemente caindo nos vícios e na dependência química. 

O fato é que a maioria das pessoas começa apenas querendo experimentar e com o passar do tempo acaba perdendo o controle da situação, a maioria dos dependentes acredita que está tudo bem e que pode sair a qualquer momento.  

É aí que reside um enorme problema: o da repetição! O fato é que até as pessoas que já possuem família formada muitas vezes caem nos vícios. Na realidade, o problema é social e muito grave e o dependente precisa de muita ajuda. 

Esse problema assola as grandes e pequenas cidades, entretanto, nas grandes cidades o problema tem se mostrado cada vez maior, o governo não consegue controlar esse é o caso da própria Cracolândia que fica em São Paulo- SP. 

Como reconhecer o alcoolismo? 

Até chegar na internação de dependentes químicos e alcoólatras muitas pessoas da família ou até mesmo a pessoa que está doente não conseguem ver onde está esse problema. 

O fato é que os dependentes realmente estão mais centrados entre jovens e adultos, pessoas mais velhas tendem a não experimentar novas sensações.

A maioria das pessoas começa na adolescência ou na juventude, sendo que geralmente começam com a experimentação de uma droga liberada: cigarro, logo passam para a bebida alcoólica e por fim chegam na maconha.

Alguns usuários ficam na maconha apenas, mais uma grande parte passa para novas drogas, ao usar cocaína ou crack a pessoa dificilmente consegue parar por conta própria, além do mais existem ainda as drogas sintéticas menos utilizadas pelo seu alto custo.

O fato é que uma pessoa que realmente já está dependente de quaisquer que sejam os tipos de entorpecentes acabam por demonstrar alguns sinais muito presentes: perda de apetite, irritação, dores no estômago, tremedeira, paranóia, entre outros. 

Devido a os usuários estarem mais expostos a se contagiar com o Covid-19, as famílias neste momento de pandemia deve ter mais um razão para acelerar o processo de tratamento em uma clínica de recuperação, pois o risco de contágio e de levar para casa o vírus é muito grande.

Ao chegar na clínica o paciente é obrigado a fazer o Teste de Coronavírus – PCR, ministrado por um enfermeiro profissional da unidade escolhida, após isso os novos pacientes ficam em uma área reservada a quarentena para depois disso ir só convívio com os demais pacientes.

A pessoa internada em uma chácara de reabilitação tende a conseguir se recuperar deste terrível vício e trazer segurança aos familiares, pois além da gravidade da dependência o Coronavírus pode ser muito grave a usuários de drogas e álcool.

Entre as clínicas que estão aceitando pacientes no atual momento de pandemia existe a Clínica de Recuperação Casoto Prime, a família ou o dependente pode comparecer na unidade mais próxima e solicitar uma avaliação multidisciplinar para realizar uma internação de dependentes químicos e alcoólatras.

Site oficial: 

www.grupocasoto.com.br

www.facebook.com/grupocasoto

https://www.instagram.com/grupocasoto

WhatsApp: (11)94797-6909

Publicidade
Publicidade