in

‘Sou uma onça’, diz mãe que enfrentou doença rara na gravidez e precisou de mais de 500 bolsas de sangue

A mulher precisou ficar internada durante 45 dias para tratamento da enfermidade.

G1

Uma mulher viveu um verdadeiro drama durante a sua gestação. Thaís Cristina Sousa, de 35 anos, auxiliar administrativa, precisou de mais de 500 bolsas de sangue enquanto esteve internada na Santa Casa de Misericórdia do Pará. No total, foram usadas 531 bolsas de sangue no tratamento. A quantidade equivale a mais do que a média de transfusões totais usadas na unidade durante um mês.

Publicidade

Tudo aconteceu durante o parto do filho Saulo Gabriel, que atualmente está com dois meses. Contando com a ajuda de centenas de doadores, a equipe médica conseguiu salvar a vida de mãe e filho. A transfusão sanguínea desse porte ocorreu porque a auxiliar administrativa teve PTT – Síndrome Púrpura Trombocitopênia.

Por esse motivo, ela teve que ser levada para a UTI logo depois do parto. O recém-nascido precisou de cuidados especiais na semi-intensiva, pois nasceu prematuro. “Não sou uma gata de sete vidas, sou uma onça. Lutei pela minha vida e meu filho lutou pela vida dele. Tivemos muita ajuda para vencer. Obrigada, Deus. Obrigada a quem doa sangue”, declarou Thaís.

Publicidade

Mãe e filho acabaram separados uma semana após a chegada do pequeno Saulo. Quando o bebê recebeu alta e foi para casa, a mãe continuou internada. Ficar longe do filho foi algo difícil e ela precisou de acolhimento e colo para enfrentar a difícil situação.

Publicidade

Entenda os fatos

Thaís foi submetida a uma cesárea de emergência quando estava no sétimo mês de gestação. O motivo foi uma crise provocada pela Síndrome Púrpura Trombocitopênica Trombótica, que é uma enfermidade hematológica considerada rara.

Publicidade

No total, a mãe guerreira ficou internada por 45 dias. A equipe médica que acompanhou o caso ressaltou que a situação era de alto risco. Segundo os especialistas, as plaquetas estavam muito baixas e havia formação de trombos por causa da enfermidade. Além disso, ela acabou tendo problemas como pressão alta, infecção e uma hemorragia interna.

Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.