in

Zé Trovão pediu refúgio no México; caminhoneiro alega perseguição política e restrição à opinião

Segundo o advogado do caminhoneiro, ao pedir refúgio no México, Zé Trovão afirmou que está sofrendo restrição no direito de opinião.

YouTube/Reprodução

O caminhoneiro Marcos Antônio Pereira Gomes, mais conhecido por Zé Trovão, pediu refúgio no México alegando estar sofrendo perseguição política. A informação foi passada pela defesa do caminhoneiro. Vale destacar que antes mesmo do ministro Alexandre Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), decretar a prisão de Zé Trovão ele foi para o México. No entanto, mesmo fora do Brasil, o caminhoneiro continuou a fazer e publicar vídeos incentivando os atos democráticos no dia 7 de setembro.

Publicidade

Vale lembrar que o caminhoneiro chegou a ser alvo de mandados de busca e apreensão em agosto, isso diante de suspeitas de que ele estaria articulando um ato antidemocrático para o dia 7 de setembro. Nesta ocasião, o caminhoneiro chegou até a ser proibido de fazer o uso de suas redes sociais.

Contudo, nem mesmo sem usar as suas redes sociais, Zé Trovão não parou de incentivar os atos políticos, isso porque o fez durante uma live realizada pelo blogueiro Oswaldo Eustáquio, que assim como ele também é um apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Publicidade

Diante do caso, a Procuradoria-Geral da República (PGR) acabou pedindo a prisão do caminhoneiro, e logo o pedido foi acatado pelo ministro Alexandre de Moraes.

Publicidade

Agora, de acordo com informações passadas pelo advogado Levi de Andrade, responsável por defender Zé Trovão na Justiça, uma das alegações feitas por Zé Trovão em seu pedido de refúgio foi que estaria havendo restrições ao direito de opinião no Brasil.

Publicidade

Segundo o advogado, nesse pedido de refúgio foi anexado a busca e apreensão do dia 20 de agosto, e até a restrição à opinião, a qual ele diz que “não é aceitável” em nenhum lugar do mundo.

Publicidade
Publicidade
Publicidade