in

Greve dos caminhoneiros paralisa estradas de 15 estados; Bolsonaro pede fim da manifestação

Bolsonaro enviou áudio à categoria pedindo que parem com as manifestações.

MIGUEL SCHINCARIOL/AFP

Após o discurso de Jair Bolsonaro (sem partido) no 7 de setembro, caminhoneiros iniciaram greve nesta quarta-feira (8). Nesta quinta, havia informações sobre bloqueios em 15 estados brasileiros. Os motoristas pararam em apoio ao presidente da República.

Publicidade

O objetivo dos grevistas é atingir o Supremo Tribunal Federal (STF). No mundo real, porém, a paralisação pode fazer com que o apoio popular a Bolsonaro, que já é baixo de acordo com as pesquisas de opinião divulgadas por institutos como Datafolha, caia ainda mais. 

Com a greve dos caminhoneiros, pode faltar gasolina em postos de combustíveis e alimentos nos supermercados. Tudo pode elevar o preço do arroz e do feijão, além de outros itens que ficariam escassos nas prateleiras. Diante disso, Bolsonaro tomou atitude.

Publicidade

Presidente pede que caminhoneiros parem greve

O presidente Jair Bolsonaro tem trânsito entre os caminhoneiros e enviou mensagem para eles pedindo o desbloqueio das vias. Até a manhã desta quinta, porém, o pedido feito chefe do Executivo não havia sido atendido e as manifestações continuavam. Bolsonaro teme que havendo desabastecimento e aumento dos preços nos supermercados, ele seja o principal alvo das críticas.

Publicidade

Os caminhoneiros estão parados em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo, na região Sudeste; Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, na região Sul; Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, na região Centro-Oeste; Bahia e Maranhão, na região Nordeste, e Roraima, na região Norte. Não há previsão de quando o movimento vai parar.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!