in

‘Cirurgia rara e complexa’, diz médico sobre separação de siamesas; gêmeas se olharam pela 1ª vez

O comunicado da cirurgia das gêmeas siamesas ocorreu no último domingo, 5 de setembro, em Israel.

G1

O nascimento de gêmeos siameses é algo considerado raro pela medicina. No entanto, alguns casos acabam tendo uma incidência ainda menor e sempre que ocorre impressiona a equipe médica e familiares. Existem situações que os siameses nascem unidos pelo tronco e quando estão ligados pela cabeça é ainda mais raro.

Publicidade

Foi justamente um caso como esse que acabou chamando atenção da mídia. Duas garotinhas nasceram unidas pela parte de trás da cabeça e também das costas. As gêmeas siamesas passaram por uma cirurgia rara de separação que, felizmente, foi bem sucedida. Por isso, as irmãs puderam pela primeira vez se olhar nos olhos. O procedimento cirúrgico foi realizado em Israel.

No último domingo, 5 de setembro, o Soroka Medical Center fez o anúncio da cirurgia que teve duração de mais 12 horas e contou com a presença dezenas de especialistas de Israel e também de outros países. Foi necessário muitos meses para que a equipe pudesse se preparar para o procedimento de separação das gêmeas siamesas.

Publicidade

“Esta foi uma cirurgia rara e complexa que foi realizada apenas 20 vezes em todo o mundo [anteriormente] e agora, pela primeira vez, em Israel”, explicou o médico Mickey Gideon, neurocirurgião pediátrico e também chefe do hospital que fica localizado no município de Beersheba.

Publicidade

Imagens divulgadas pela imprensa de Israel mostraram as irmãs, que não tiveram os nomes divulgados, uma frente a outra em um bercinho e com as cabeças enfaixadas. O anunciou divulgado pela instituição citou que a operação necessitou de reconstrução do crânio e foi necessário fazer enxertos do couro cabeludas das crianças.

Publicidade

Durante uma entrevista concedida a mídia local, o médico disse que as gêmeas se recuperam bem e conseguem se alimentar e respirar sozinhas.

O Brasil já teve um caso semelhante que também foi bem-sucedido. As gêmeas siamesas Mel e Lis nasceram ligadas pela cabeça e no ano de 2019 passaram por um procedimento de separação em um hospital de Brasília.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.